Abrapa encerra missão na Ásia de olho em exportar mais algodão


Imagem: Pixabay


Os produtores brasileiros de algodão que visitaram a Ásia, entre 4 e 15 de junho, retornam ao País com boas perspectivas de ampliar as relações comerciais, uma vez que o continente é o principal destino das exportações da fibra nacional. A região concentra 99% das vendas externas do Brasil e as projeções do mercado são de aumento da demanda global por algodão. Bom para a cotonicultura brasileira, que está entre as quatro maiores produtoras da fibra do mundo, com estimativas para a safra 2022/2023 de totalizar 2.796 (mil toneladas) produzidas, segundo relatório de safra de junho, divulgado pela Associação Brasileira de Produtores de Algodão (Abrapa).

Além disso, o Brasil é o segundo maior exportador da pluma, atrás apenas dos Estados Unidos. O intercâmbio comercial foi organizado pela Abrapa, em parceria com a Associação Nacional dos Exportadores de Algodão (Anea) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e integra o programa Cotton Brazil, desenvolvido em parceria entre as três organizações.

A missão comercial visitou Indonésia, Tailândia e Bangladesch. Os três países, juntos, representam 21% do total embarcado para a Ásia na safra 2020/21, cerca de 498,5 mil toneladas da fibra. No ciclo atual (de agosto/21 a abril/22), respondem por mais de um quinto de algodão brasileiro. Para o presidente da Abrapa, Júlio Cézar Busato, a visita aos três países, que são grandes importadores da fibra brasileira, foi importante para avaliar a confiabilidade do produto nacional nos respectivos mercados e o resultado foi positivo. “Em todas as indústrias que visitamos e nas reuniões com o trade, fomos muito bem avaliados, sobretudo na qualidade da nossa fibra que supera a concorrência americana em muitos aspectos. Temos potencial de crescimento nos próximos anos e esses países estão abertos ao nosso produto”, disse Busato. “Temos tecnologia, pessoas e trabalhamos para crescer com qualidade e sustentabilidade. Então as projeções são as melhores”.

{module Form RD}

Bangladesh

É o mercado que mais cresce na importação mundial da pluma, juntamente com o Vietnã, mas que ainda compra pouco algodão brasileiro, comparativamente com outros mercados produtores. Na safra passada, Bangladesch importou 270 mil toneladas. No atual ano comercial, entre agosto de 2021 e maio de 2022, as exportações para o mercado bengali somaram 184,0 mil toneladas. É o quinto maior importador do algodão brasileiro, mas é o segundo maior importador global da fibra. Não à toa, o Brasil está de olho em Bangladesh e trabalhando para ampliar a abertura de mais mercado e o surgimento de novas oportunidades de negócios. O diretor de Relações Internacionais da Abrapa, Marcelo Duarte, ressalta que as indústrias têxteis de Bangladesh planejam expandir sua produção e com isso precisarão de mais algodão do que já consomem. “Estamos trabalhando para estreitar as relações e atender ainda mais o mercado com a fibra brasileira”, afirmou. Meta viável ao que tudo indica.

Tailândia

Na Tailândia, foram visitadas indústrias, entre elas a maior compradora do algodão brasileiro do país. Foi a oportunidade para os produtores conhecerem mais sobre o processo fabril da empresa, identificando oportunidades para aperfeiçoar o algodão exportado para os tailandeses. Chamou atenção dos produtores o feedback do mercado tailandês sobre a evolução da fibra brasileira. Tailândia está entre os países considerados prioritários pela Abrapa. No ranking, é o oitavo maior importador mundial de algodão, com 130 mil toneladas na safra 2020/21. Desse total, o Brasil respondeu por 16% com o embarque de 21 mil toneladas da pluma. Ficou perceptível aos brasileiros, durante a visita, que a indústria têxtil tailandesa vive agora um período de busca por mais eficiência e qualidade, recuperando-se dos impactos pós-pandemia. O algodão tende a ser favorecido, pois o consumidor sinaliza preferir tecidos com essa fibra natural.

Indonésia

A etapa na Indonésia, primeiro país visitado pela “Missão Vendedores” também teve saldo positivo e com aceno de ampliação das relações comerciais com os brasileiros. Para isso, basta que os cotonicultores sigam investindo na melhoria dos indicadores de qualidade e na rastreabilidade do produto, unanimidade na fala dos industriais visitados pela comitiva. Essa confiança ajuda a explicar os bons números do comércio de algodão entre Brasil e Indonésia. Em 2021, o País exportou 207 mil toneladas de algodão para a Indonésia, que é o sexto maior mercado da pluma brasileira e o país com o segundo melhor market share (41%). Neste ano comercial (de agosto de 2021 a abril de 2022), já foram embarcadas para as indústrias indonésias 133,2 mil toneladas da fibra nacional. Sexto maior importador de algodão no mundo, foram 501 mil toneladas na safra 2020/21, a Indonésia não tem previsão de ver sua produção própria se ampliar. Diante do cenário, é outro potencial comprador a aumentar seus pedidos para o mercado brasileiro.

A missão contou com grande apoio das embaixadas e adidâncias agrícolas do Brasil em cada um dos países. Além da visita às indústrias, o Cotton Brazil Outlook 2022 foi realizado nos países, atividade que reuniu o trade, empresários e compradores da fibra, para promover a pluma brasileira e consolidar o Brasil como firme fornecedor de algodão à Ásia. As informações são da Abrapa.

Por: SAFRAS&MERCADO

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.