Antibióticos devem ser cada vez menos usados na engorda



Imagem: Pixabay


Para o relatório, o BfR concentrou-se em quatro parâmetros.

Os antibióticos são usados cada vez menos em animais de engorda. Este é o resultado encontrado pelo relatório “Frequência de tratamento e quantidades de consumo de antibióticos 2018–2021: Tendências em bovinos, suínos, frangos e perus criados para produção de carne”, do Instituto Federal Alemão de Avaliação de Risco (BfR). O BfR tem a tarefa de avaliar os dados sobre o uso de antibióticos fornecidos pelos estados federais alemães a cada ano, bem como conduzir uma avaliação de risco de resistência a antibióticos.

{module Form RD}

Em seu relatório recém-publicado, o BfR considera dados dos anos de 2018 a 2021 e os compara com o ano de 2017. “A boa notícia é que o consumo geral de antibióticos está diminuindo nas espécies animais de produção consideradas, embora com flutuações. » . diz a Professora Dra. Annemarie Käsbohrer, Chefe da Unidade de Epidemiologia, Zoonoses e Resistência Antimicrobiana, que preparou o relatório.

Também está diminuindo o aparecimento de germes resistentes a antibióticos em animais destinados ao abate. “No entanto, esse declínio difere entre as categorias de animais e não reflete o declínio observado no consumo. Precisamos entender melhor o comportamento de resistência dos germes e intensificar os esforços para reduzi-lo, a fim de obter uma queda de longo prazo”. na taxa de resistência”, diz Käsbohrer.

Para o relatório, o BfR concentrou-se em quatro parâmetros. Em primeiro lugar, foi considerada a frequência do tratamento no nível da fazenda. Esse valor indica quantos dias em um período de seis meses, em média, uma substância com efeito antibiótico foi aplicada em um animal de uma categoria de animais de uma fazenda.

Esses valores foram calculados para engorda de frangos e perus, engorda de leitões e suínos, bem como engorda de bezerros e bovinos .. Isso também permitiu identificar fazendas que não usaram antibióticos por um período de seis meses, as chamadas fazendas de usuário zero. Além disso, o BfR investigou em quais categorias de animais as substâncias antimicrobianas são mais usadas (frequência de tratamento em toda a população) e como as quantidades de consumo evoluíram ao longo do período.

Fonte: Leonardo Gottems | Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.