Ataque russo atinge navio em Pivdennyi após ataque aéreo em Odessa danificar instalações de grãos na Ucrânia

Imagem: Adobe Stock

Em 8 de novembro, o porto de Pivdennyi foi alvo de um ataque da Rússia, resultando no impacto de um míssil em um navio comercial, conforme relatado pelo AgriCensus, que informou as autoridades ucranianas.

Durante o incidente, uma parte do navio Ruler, com um porte bruto de 92.000 toneladas, foi atingida enquanto entrava no porto para carregar minério de ferro destinado à China, de acordo com fontes comerciais. O navio estava navegando sob a bandeira da Libéria, conforme indicado no relatório.

As autoridades ucranianas, conforme o relatório, afirmam que este é o 21º ataque da Rússia. O foco está nas áreas portuárias desde o cancelamento do acordo da Iniciativa de Grãos do Mar Negro (BSGI).

O ataque a Pivdennyi gerou incerteza no mercado. Não havia relatos anteriores de navios atingidos nos portos do Mar Negro. Os ataques anteriores focavam na infraestrutura portuária, segundo o AgriCensus.

Ataque aéreo russo desencadeia caos em Odessa e eleva tensões na região

Nas semanas que antecederam o relatório do AgriCensus, as taxas de frete para embarcações saindo dos portos ucranianos do Mar Negro estavam em declínio devido ao aumento do número de empresas envolvidas e ao aumento das reparações de embarcações.

O incidente em Pivdennyi ocorreu após um grande ataque aéreo russo ao porto ucraniano de Odessa, no Mar Negro, em 5 de novembro, que resultou em pelo menos oito feridos, incêndios em caminhões carregados de grãos e danos a uma das principais galerias de arte da cidade, de acordo com autoridades locais citadas em um relatório da Reuters no dia seguinte ao ataque.

No referido ataque, o governador de Odessa, Oleh Kiper, mencionou que 15 drones tinham como alvo a infraestrutura portuária da cidade.

A força aérea, citada pela Reuters, afirmou em comunicado que a Rússia lançou quatro mísseis diferentes visando as regiões sul de Odessa e Kherson. O relatório informou que a Península da Crimeia, anexada pela Rússia em 2014, lançou drones e mísseis.

Na época da reportagem da Reuters, não houve nenhum comentário imediato da Rússia. Segundo o chefe do gabinete do presidente ucraniano, Andriy Yermak, o ataque foi uma resposta aos ataques ucranianos na Crimeia.

Fonte: Oils & Fats International

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.