Balança comercial tem superávit de US$ 1,787 bilhão na primeira semana de junho

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 1,787 bilhão e corrente de comércio de US$ 6,626 bilhões, na primeira semana de junho de 2020 – com cinco dias úteis –, como resultado de exportações no valor de US$ 4,207 bilhões e importações de US$ 2,419 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (08) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. No ano, as exportações totalizam US$ 88,724 bilhões e as importações, US$ 71,365 bilhões, com saldo positivo de US$ 17,359 bilhões e corrente de comércio de US$ 160,089 bilhões.

Análise do mês

Nas exportações, comparadas a média até a primeira semana de junho de 2020 (US$ 841,33 milhões) com a de junho de 2019 (US$ 968,74 milhões), houve queda de -13,2%, em razão da diminuição nas vendas da Indústria Extrativista (-35,1%) e dos produtos da Indústria de Transformação (-18,0%). Por outro lado, aumentaram as vendas em Agropecuária (24,6%).

A queda nas exportações foi puxada, principalmente, pela diminuição das vendas dos seguintes produtos da Indústria Extrativista: Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (-75,6%); Minério de ferro e seus concentrados (-14,1%); Outros minérios e concentrados dos metais de base (-41,5% ); Pedra, areia e cascalho (-46,1%) e Minérios de alumínio e seus concentrados (-21,4%).

Da mesma forma, também houve diminuição nas vendas dos produtos da Indústria de Transformação a seguir: Carnes de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas (-43,9%); Aeronaves e outros equipamentos, incluindo suas partes (-91,5%); Ferro-gusa, spiegel, ferro-esponja, grânulos e pó de ferro ou aço e ferro-ligas (-52,2%); Motores e máquinas não elétricos, e suas partes –  exceto motores de pistão e geradores (-84,3%) e Instalações e equipamentos de engenharia civil e contrutores, e suas partes (-52,6%).

Nas importações, a média diária até a primeira semana de junho de 2020 (US$ 483,89 milhões), ficou 29,4% abaixo da média de junho do ano passado (US$ 685,72 milhões). Nesse comparativo, caíram os gastos nas compras, principalmente, com Agropecuária (-27,2%), Indústria Extrativa ( -21,7%) e produtos da Indústria de Transformação (-29,9%).

A queda das importações foi puxada, principalmente, pela diminuição das compras dos seguintes produtos agropecuários: Trigo e centeio, não moídos (-39,0%); Pescado inteiro vivo, morto ou refrigerado (-57,6%); Látex, borracha natural, balata, guta-percha, guaiúle, chicle e gomas naturais ( -58,6%); Frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (-34,3%)  e Milho não moído, exceto milho doce ( -89,4%).  Na Indústria Extrativa, a queda das importações ocorreu, principalmente, pela diminuição nas compras de Gás natural, liquefeito ou não (-100,0%); Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (-9,2%); Outros minérios e concentrados dos metais de base (-88,2%); Carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (-10,2%) e Outros minerais em bruto (-24,8%).

Por fim, na Indústria de Transformação, a queda das importações se deu, principalmente, pela diminuição de compras com Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (-61,7%); Partes e acessórios dos veículos automotivos (-58,6%); Adubos ou fertilizantes químicos, exceto fertilizantes brutos (-25,0%); Veículos automóveis para transporte de mercadorias e usos especiais (-76,1%) e Veículos automóveis de passageiros (-68,7%).

Fonte: DATAGRO

LEIA TAMBÉM:

{module 441}
{module 442}

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.