Brasil quer ser autossuficiente em cacau até 2025


Imagem: Pixabay


Brasil, que já foi o maior produtor e exportador de cacau, hoje é o sétimo produtor e grande importador. A amêndoa que origina o chocolate teve queda significativa por uma combinação de fatores: redução dos preços no mercado internacional, pragas, condições climáticas, políticas econômicas governamentais e falta de crédito. Somente a vassoura de bruxa fez a produção cair em cerca de 85%.

{module Form RD}

Agora a ameaça é a monilíase do cacaueiro (Moniliophthora roreri)Após um foco detectado no Acre, o estado mais Rondônia e Amazonas estão em quarentena para evitar a propagação. A doença  fúngica pode destruir 100% da produção e é devastadora para as plantas.

Na safra 2020/21 foram processadas 213,5 mil toneladas no período, recuo de 15,4% na produção de amêndoas. A meta brasileira é atingir a autossuficiência no cacau até 2025. Atualmente existe um déficit para atender a demanda interna na ordem de 70 mil toneladas.

Um grupo de representantes do Ministério da Agricultura visitou a produção de cacau no Pará, na região da Transamazônica, que concentra a maior quantidade de área plantada de cacau no estado e também a de maior produtividade, e ao município de Tomé-Açu.

A equipe esteve na Estação de Recursos Genéticos José Haroldo (ERJOH) e na Estação Experimental Paulo Morelli (ESPAM), visitou cooperativas e produtores de cacau da região, fábricas de produção de nibs e de chocolate. 

A Estação de Recursos Genéticos José Haroldo, localizada em Marituba, no Pará, abriga o maior banco de germoplasma de cacau do mundo, onde mais de 53 mil espécies coletadas ao longo de vários anos são preservadas vivas. 

“Fiquei impactado com o potencial da cadeia do cacau no estado, justamente por temos o maior banco de germoplasma do mundo, com mais de 2 mil acessos, o que significa mais de 2 mil plantas de cacau que guardam a riqueza genética da espécie”, destaca o secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação, Fernando Camargo.

Além de conhecer de perto a região Transamazônica, que é a maior produtora de cacau do Pará, responsável por mais de 80% da produção do estado, o grupo dialogou com diversos atores da cadeia produtiva para entender os principais desafios.

“Conseguimos fazer reuniões com o estado, com o presidente da federação, conversamos com produtores, visitamos cooperativas e fábricas. Conseguimos entender as necessidades e vamos cooperar para a manutenção e crescimento da produção de cacau no país e buscar fortalecer cada vez mais a pesquisa da Ceplac especialmente quanto ao melhor uso do banco de germoplasma”, disse o diretor da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Waldeck Araújo.

A Transamazônica é formada pelos municípios de Novo Repartimento, Pacajá, Anapu, Vitória do Xingu, Altamira, Brasil Novo, Medicilândia, Uruará, Placas, Rurópolis e Itaituba, que, juntos, possuem mais de 155.900 hectares de cacaueiros, cerca de 18 mil cacauicultores e produziram mais de 100 mil toneladas de cacau em 2020. Já a região Nordeste do Pará, composta pelos municípios de Santa Isabel do Pará, Santa Bárbara do Pará, Castanhal, Acará e Tomé-Açu, conta com 10.325 hectares de cacaueiros. No ano de 2020, a região, que possui 2.550 cacauicultores, produziu cerca de 4 mil toneladas de amêndoas.

Por: Eliza Maliszewski | Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.