Brasil vai na contramão das perspectivas mundiais e deve aumentar produção de carne suína

De acordo com o Relatório Semestral sobre Mercados Globais de Alimentos da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação,  na china, a expansão do Peste Suína Africana está em grande parte por trás de uma queda prevista de 20% na produção de carne suína para 35 milhões de toneladas, após o recuo de 21% já registrado em 2019.

Com uma série de políticas lançadas pelo governo para resgatar o setor, As empresas suinicultoras adotaram medidas avançadas de biossegurança. Os surtos de PSA também estão por trás das quedas projetadas no Vietnã e nas Filipinas, enquanto um rebanho de suínos menor deve reduzir a produção na Ucrânia.

Já Nos EUA, as perspectivas negativas de produção estão principalmente relacionadas a interrupções no mercado da COVID-19

Por outro lado, são esperados aumentos moderados da produção na UE e no Reino Unido, Brasil, Federação Russa, México e Canadá. Na UE e no Reino Unido, uma forte demanda de importação, principalmente da China, está apoiando uma expansão do setor.

No Brasil, os custos estáveis de alimentação e o grande número de rebanhos de suínos sustentam a produção, enquanto na Federação Russa o crescimento da produção é sustentado por investimentos em larga escala em novas instalações de criação e processamento.

As exportações mundiais de carne suína são estimadas em 10,6 milhões de toneladas em 2020, um aumento de 11,2% em relação ao ano passado, predominantemente impulsionado por maiores importações antecipadas da China, juntamente com aumentos moderados nas compras do Vietnã, Filipinas, Chile e Ucrânia.

Exportações

Na China, espera-se que as importações de carne suína aumentem 1,2 milhão de toneladas ou 42% em 2020, atingindo 4,1 milhões de toneladas, o equivalente a 40% do volume global do comércio de carne de porco. Da mesma forma, projeta-se que as importações das Filipinas e do Vietnã aumentem principalmente para compensar os déficits de produção causados pela doença PSA. Também se espera que os suprimentos domésticos limitados aumentem as importações da Ucrânia. Por outro lado, prevê-se que a República da Coréia reduza suas compras de carne de porco devido a uma contração nas vendas domésticas de serviços de alimentação.

Prevê-se que grande parte das importações mundiais de carne suína em 2020 seja atendida pelos EUA, UE e Reino Unido, Brasil, Canadá, México e Chile. Apesar da pequena contração prevista da produção, os EUA provavelmente verão suas exportações subirem 13%, com o volume direcionado para China, México, Japão, Canadá, República da Coréia e Austrália.

 Na UE e no Reino Unido, o aumento da disponibilidade resultou da queda do consumo doméstico de carne de porco e do aumento da produção, o que pode levar a maiores exportações, especialmente para a China, na sequência de acordos recém-assinados entre a China e os principais fornecedores da UE.

As exportações de carne suína do Brasil também podem aumentar, devido ao aumento das entregas para a China, embora as vendas para outros parceiros comerciais possam cair.

Fonte: Notícias Agrícolas

LEIA TAMBÉM:
{module 441}
{module 442}

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.