Especulações retomam possibilidade de suspensão pela Bulgária da proibição de importação de sementes de girassol da Ucrânia

Especulações retomam possibilidade de suspensão pela Bulgária da proibição de importação de sementes de girassol da Ucrânia
Imagem: Pixabay

Com a proibição da Bulgária sobre as importações de semente de girassol ucraniana programada para expirar em 1º de dezembro, comerciantes e mídia locais têm defendido ambos os lados, enquanto as empresas locais de esmagamento alegam que estão sendo impedidas de fornecer a semente oleaginosa, de acordo com fontes comerciais do AgriCensus.

A Bulgária implementou essa proibição depois que a Comissão Europeia decidiu, em setembro, não estender sua proibição temporária sobre as importações ucranianas de trigo, milho, colza e semente de girassol para Bulgária, Hungria, Polônia, Romênia e Eslováquia, visando proteger os agricultores nacionais.

Segundo fontes comerciais búlgaras citadas no relatório AgriCensus de 23 de novembro, especulações aumentaram entre os participantes do mercado e a mídia local sobre a possível suspensão da proibição das importações de sementes de girassol para o país.

Produtores búlgaros exigem liberalização das importações de sementes de girassol da Ucrânia

Produtores búlgaros de óleo vegetal reiteraram sua demanda em 22 de novembro para a total liberalização das importações de sementes de girassol da Ucrânia, conforme relatado pela mídia local.

“Estamos esperando há dois meses e meio para ver o que acontece. “Ninguém consultou nossa opinião sobre a proibição de importações da Ucrânia. Agora, discutem-se novamente algumas condições”, afirmou Yani Yanev, presidente da Associação de Produtores de Óleo de Sementes Oleaginosas, segundo a mídia local.

“As importações de girassol devem ser liberalizadas”, afirmou Yanev.

O governo búlgaro assegurou o fornecimento de matérias-primas às empresas de esmagamento. Contudo, não confirmou oficialmente a suspensão da proibição, conforme relato do AgriCensus.

De acordo com fontes comerciais, o governo estava contendo qualquer descontentamento dos agricultores búlgaros.

A falta de clareza confundiu os participantes do mercado. Isso aumentou a especulação, especialmente sobre o fornecimento de girassol e colza ucranianos. Essa incerteza surge devido à menor colheita na Bulgária nesta temporada, estimada em 1,6 milhão de toneladas. Esse valor é quase 24% menor que no ano anterior, conforme estimativas de fontes do mercado local.

Nesse cenário, compradores búlgaros também expressaram preocupações sobre o novo regime de licenciamento na Ucrânia para a exportação de sementes de girassol, milho e colza, conforme previamente acordado entre a Ucrânia e a Comissão Europeia, conforme relatado.

Até o momento do relatório, não havia confirmação oficial sobre o status da proibição ou planos para sua expiração.

Fonte: Oils & Fats International

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.