Chicago anula dólar e milho exportação trava



Imagem: Pixabay


Com prêmios inalterados e cotações em queda, os preços finais recuam levemente na Argentina.

Com a queda de Chicago anulando a alta do dólar, o mercado brasileiro de exportação de milho se encontra travado, de acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica. “Os prêmios para julho23 subiram para $ 97 cents/bushel para julho23 e $ 97 para agosto23 e recuaram para $105 para setembro”, comenta.

{module Form RD}

“A falta de suporte dos principais componentes de formação do preço de exportação do milho (dólar subiu hoje 0,16%, mas, Chicago caiu 0,59%, anulando os ganhos da moeda americana) não permitiram que as indicações de preço dos compradores atingissem sequer os preços líquidos pagos pelos compradores no interior do país, motivo pelo qual hoje o farm selling ficou prejudicado. Apesar de haver indicações e interesse dos compradores, não soubemos de nenhum negócio nesta quinta-feira”, completa.

Com prêmios inalterados e cotações em queda, os preços finais recuam levemente na Argentina. “Os preços aproximados do trigo argentino, calculados a partir dos prêmios e da CBOT, para o comprador brasileiro recuaram para US$ 308 para fevereiro, para US$ 302 para março, recuaram para US$ 297 para abril/maio e para US$ 252 julho, segundo relatório de prêmios recebido dos corretores de Buenos Aires. Os preços flat do milho recuaram para US$ 308 FOB nos EUA, permaneceu em US$ 313 FOB Up River (oficial), na Argentina e recuaram para USD$ 312 FOB Santos, no Brasil”, indica.

No Paraguai as opções de compra estreitam. “Os compradores no mercado FAS estão encerrando seus programas, e as opções de negócios estão se estreitando, assim como os níveis de liquidação têm um pequeno revés. O mercado brasileiro, por sua vez, mantém preços estáveis, onde os compradores não parecem ter muita pressa em cobrir possíveis quebras na região sul. Alguns participantes da indústria local estão fazendo compras à medida que seu consumo avança, enquanto outros já têm seus programas cobertos”, conclui.

Fonte: Leonardo Gottems | Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.