China começa a liberar mais de 3 milhões de toneladas de fertilizantes das reservas


Imagem: Pixabay

PEQUIM (Reuters) – A China iniciou a liberação de mais de 3 milhões de toneladas de fertilizantes de suas reservas comerciais em março para a temporada de plantio de primavera no Hemisfério Norte, disse o planejador estatal nesta segunda-feira (14/03).

Mais fertilizantes serão liberados das reservas para atender à demanda do mercado durante o principal período agrícola, e o governo acompanhará de perto a situação do mercado para garantir oferta e preços estáveis de fertilizantes, disse o Comitê Nacional de Desenvolvimento e Reforma em comunicado.

Enquanto isso, Pequim tem se esforçado para fornecer fertilizantes suficientes para seus 300 milhões de agricultores para manter os preços sob controle, já que o país promete reforçar a segurança alimentar em meio à intensificação de preocupações sobre a oferta em meio à guerra da Ucrânia.

O governo desde setembro do ano passado planejava liberar os estoques de fertilizantes em lotes para ajudar a domar os preços descontrolados.

{module Form RD}

Os futuros de ureia de Zhengzhou atingiram um recorde de 3.342 iuanes (525,46 dólares) a tonelada em meados de outubro, antes de cair para cerca de 2.200 iuanes quando Pequim lançou uma investigação sobre o mercado e impôs requisitos adicionais de inspeção para exportações de produtos fertilizantes.

A produção de fertilizantes da China aumentou 0,8%, para 54,46 milhões de toneladas em 2021, enquanto as exportações caíram 42% em relação ao ano anterior.

Os preços da ureia na semana passada subiram para 2.782 iuanes por tonelada após um aumento nos preços globais de energia, incluindo gás natural e carvão, que são a matéria-prima da produção de fertilizantes.

O bilionário russo do setor de fertilizantes Andrei Melnichenko alertou que uma crise global de alimentos está se aproximando, a menos que a guerra na Ucrânia seja interrompida.

Segundo ele, os preços dos fertilizantes estão subindo tão rapidamente que muitos agricultores não podem mais comprar nutrientes para o solo.

(Reportagem de Muyu Xu e Dominique Patton)

Clipping: Notícias Agrícolas | Fonte: Reuters

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.