China eleva orçamento para estoque de grãos e óleo comestível para melhorar segurança alimentar

China eleva orçamento para estoque de grãos e óleo comestível para melhorar segurança alimentar
Imagem: Pixabay

A China ampliou drasticamente nesta terça-feira seu orçamento para estocar grãos e óleos comestíveis este ano e intensificou o apoio e as políticas para impulsionar a produção agrícola, dobrando a aposta na melhora da segurança alimentar.

O maior comprador mundial de grãos e sementes oleaginosas quer reduzir sua forte dependência das importações, que chegam a mais de 100 milhões de toneladas por ano, principalmente dos Estados Unidos e do Brasil. As importações agrícolas totais da China totalizaram 234 bilhões de dólares em 2023.

“Esses esforços ajudarão a garantir a renda dos produtores de grãos e motivarão as principais áreas produtoras de grãos a manter o foco na produção de grãos e a explorar ainda mais seu potencial para obter rendimentos mais altos”, disse o Ministério das Finanças chinês em um relatório divulgado no início da reunião anual do parlamento da China.

China eleva orçamento para segurança alimentar em 8,1%

A China gastará 140,63 bilhões de iuanes (19,54 bilhões de dólares) em estoques de grãos, óleos comestíveis e “outros materiais” este ano, um aumento de 8,1% em relação ao ano anterior, segundo o relatório.

“Aumento do orçamento mostra preocupação de Pequim com suprimento de alimentos e outras matérias-primas”, afirmou Even Pay, analista da Trivium China.

“A China busca segurança econômica e alimentar ao manter ou aumentar reservas, mas isso implica maior intervenção nos mercados.”, disse.

Na terça, a China aumentou subsídios agrícolas em 18,7%, totalizando 54,5 bilhões de iuanes (7,57 bilhões de dólares) em prêmios de seguro. O Ministério das Finanças elevará o preço mínimo do trigo e ampliará o seguro agrícola nacional para arroz, trigo e milho.

Aposta na modernização para garantir suprimento alimentar autossuficiente

“Com a vasta população chinesa, é vital garantir a segurança alimentar interna através de uma estratégia agrícola abrangente”, afirmou o primeiro-ministro Li Qiang. Adicionalmente, Li disse que a China expandirá a produção de sementes oleaginosas e manterá estáveis o gado e a pesca.

Por outro lado, a China planeja produzir mais de 650 milhões de toneladas de grãos em 2024, com um crescimento constante na capacidade de produção. A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma prevê um aumento de 50 milhões de toneladas na produção de grãos, evidenciando um firme progresso.

Ademais, acelerar o cultivo de soja, construir centros de sementes e desenvolver variedades com alto teor de óleo e rendimento são prioridades declaradas. “Transformaremos a agricultura em um importante setor moderno”, afirmou o relatório.

Como segundo maior produtor global de milho, a China busca aumentar a produção após uma safra recorde de 288,84 milhões de toneladas no ano anterior.

Fonte: Emily Chow e Mei Mei Chu | Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.