China lança plano para se transformar em “potência agrícola”



Imagem: Pixabay


Meta é manter a produção anual de 650 milhões de toneladas de grãos.

O governo chinês divulgou essa semana um novo plano para promover a “revitalização rural, acelerar a modernização agrícola e transformar a China em uma potência agrícola”. Chamado de “Documento Central nº 1”, o projeto delineia nove tarefas que serão empregadas ainda este ano para priorizar a base da “agricultura, áreas rurais e agricultores”.

{module Form RD}

Anualmente as autoridades centrais da China divulgam uma primeira declaração oficial, em um documento que é visto como um indicador de prioridades políticas. O trabalho na agricultura e nas áreas rurais está no topo da agenda há 20 anos consecutivos desde 2004.

“O documento não apenas detalha as principais tarefas para promover de forma abrangente a revitalização rural, mas também apresenta arranjos específicos para acelerar a construção da força da China na agricultura. Uma das tarefas mais importantes é fortalecer a agricultura por meio da ciência e da tecnologia”, informa a CGTN (China Global Television Network).

Segundo a agência chinesa, o documento enfatiza a necessidade de promover avanços nas principais tecnologias agrícolas essenciais, estabelecer laboratórios agrícolas e centros de inovação, fortalecer a observação básica de longo prazo e experimentos na agricultura. Além disso, pretende acelerar a pesquisa e o desenvolvimento de máquinas e equipamentos agrícolas inteligentes em larga escala e revigorar a indústria de sementes, construindo um mecanismo de compartilhamento para identificação e avaliação de recursos genéticos.

O documento também apela para a “promoção do desenvolvimento verde da agricultura, estabelecendo um sistema de coleta, utilização e tratamento de resíduos agrícolas e um sistema de monitoramento para proteção do meio ambiente agroecológico, introduzindo regulamentos sobre compensação para proteção ecológica, fazendo cumprir rigorosamente a moratória da pesca, e intensificar os esforços para proteger e restaurar pastagens”.

A China pretende ainda melhorar as infraestruturas agrícolas e aumentar a recuperação de terrenos agrícolas abandonados. O gigante asiático quer também avançar em grandes projetos de conservação de água, acelerar a construção da rede nacional de conservação e fortalecer a capacidade do país de prevenir e mitigar desastres naturais para a agricultura por meio de observação meteorológica e monitoramento de doenças e pragas.

Por fim, para garantir uma produção estável e o fornecimento adequado de grãos e outros produtos agrícolas importantes, o documento destaca que a meta manter uma produção anual de 650 milhões de toneladas de grãos. Para isso está projetado, principalmente, expandir a área plantada de soja e oleaginosas.

Fonte: Leonardo Gottems | Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.