CNA discute informações e políticas públicas para o setor de grãos

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) realizou uma transmissão ao vivo pelas redes sociais para debater informações e políticas públicas para o setor de grãos na terça (26).

O encontro contou com a participação do presidente da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da CNA, Ricardo Arioli, e do diretor de Política Agrícola e Informações da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Sérgio De Zen.

Eles discutiram a possibilidade de uma parceria entre entidades, como CNA, Embrapa, universidades e Federações de Agricultura e Pecuária, e a Conab, para aprimorar o levantamento de informações sobre produção, área e produtividade de grãos no Brasil.

“Está na hora do Brasil, que já ocupa a liderança mundial na produção e na exportação das principais commodities, ter números cada vez mais fortes”, disse Ricardo.

O modelo brasileiro pode usar como base o sistema utilizado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, sigla em inglês), que conta com diversas parcerias e utiliza a estrutura existente para alimentar a base de dados.

“Temos que mostrar os dados brasileiros para o mundo porque isso significa segurança alimentar. Prova que somos capazes de produzir muito porque temos produtividade e, produzindo muito, usamos bem os fatores de produção e geramos recursos que sustentam a nossa biodiversidade”, afirmou Sérgio De Zen.

Temas – A política de preços mínimos e a expectativa em relação ao Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2020/2021 também foram analisadas na conversa.

Segundo o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, o recálculo do preço mínimo atualmente é feito com base no custo de produção e no orçamento previsto pelo Ministério da Economia para garantir o valor.

Na opinião dele, é preciso pensar nos próximos 10 anos e utilizar uma ferramenta em que haja menos transação de produto e mais agilidade financeira, ou seja, um instrumento de mercado em que o Governo possa atuar fomentando títulos para equalizar o preço. Outro ponto importante é avaliar as séries históricas de preços para analisar quantas vezes aquele nível de preço mínimo precisou de intervenção.

Em relação ao PAP, Sérgio De Zen garante que o Governo está trabalhando para reduzir juros e aumentar os recursos. Conforme ele, os juros poderão cair ainda mais no futuro se o Brasil investir em segurança jurídica, previsibilidade e disponibilidade de informações.

“Por isso que é importante ter estatísticas. A previsibilidade reduz o risco e com isso aumenta a disponibilidade de recursos, o que permite juros mais baixos lá na frente. Isso também traz tranquilidade ao investidor”, declarou.

Fonte: Agrolink

LEIA TAMBÉM:

{module 441}

{module 442}

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.