Com colheita atrasada e lavouras sofrendo com o clima, Famasul reduz novamente expectativa de produtividade do milho no MS



Imagem: Pixabay


A Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso do Sul) divulgou seu Boletim Semanal da Casa Rural seguindo o acompanhamento da safra e da comercialização da produção de milho no estado.

De acordo com o levantamento, a projeção de área plantada para o milho 2ª safra 2020/2021 de Mato Grosso do Sul segue de 2,003 milhões de hectares, com aumento de 5,7% quando comparada com a área da safra 2019/2020, que foi 1,895 milhão de hectares.

{module Form RD}

Já a produtividade foi reduzida novamente, desta vez para 52,3 sacas por hectare, um patamar 40,8% menor do que o da safra passada, após começar no patamar de 75 sacas. Com isso, a produção final também cai para 6,285 milhões de toneladas, diante da projeção inical de 9,013 milhões.

“A ocorrência de adversidades climáticas nas principais regiões produtoras do estado, em especial o reduzido volume de chuvas, afetaram diretamente o desenvolvimento fenológico e a granação do milho, levando a maioria das lavouras a serem enquadradas na classificação “regular e ruins”. Observou-se a campo, lavouras com espigas com má formação, plantas que não desenvolveram, estandes irregulares, dentre outros problemas que afetaram diretamente o potencial produtivo da cultura”, explica a Famasul.

Diante deste cenário, apenas 1% das lavouras foram avaliadas em boas condições, 36% são regulares e os outros 63% foram avaliadas como ruins.

O relatório explica que para um cultivo ser classificado como “ruim”, deve apresentar diversos critérios negativos, como alta infestação pragas (plantas daninhas, pragas e doenças) ou falhas de stand, desfolhas, enrolamento de folhas, amarelamento precoce das plantas, dentre outros defeitos que causem elevada perda de potencial produtivo. Em uma classificação “regular”, encontra-se plantas que apresentam poucos danos causados por pragas, stand razoável e pequenos amarelamentos das plantas em desenvolvimento. Um cultivo é classificado como “bom”, quando não apresenta nenhuma das características anteriores, possuindo plantas viçosas e que garantem uma boa produtividade.

Olhando para a colheita, o relatório aponta que o Mato Grosso do Sul colheu até aqui apenas 4,1% to total semeado até a última sexta-feira (23).

“A operação de colheita do milho iniciou na semana retrasada em áreas pontuais do estado. A colheita segue com atraso de 3 semanas, quando comparada a safra passada”, diz a publicação.

Enquanto isso, o preço da saca do milho em Mato Grosso do Sul apresentou estabilidade entre 19 e 26 de julho de 2021. O cereal encerrou o período negociado a R$ 88,13. Já no mês de julho como um todo, houve valorização de 4,44% na saca do cereal.


“Esse comportamento demonstra que a condição de menor produção segue sustentando os preços”, aponta a entidade.

Por: Guilherme Dorigatti | Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.