Dólar deve ficar em R$ 3,90 ano que vem


De acordo com o Rabobank, o Dólar norte-americano deve fechar este ano em R$ 4,00, para então começar a retroceder até o patamar de R$ 3,90 no final de 2020. É o que aponta o estudo “Perspectivas para o agronegócio brasileiro 2020”, divulgado essa semana pela instituição financeira especializada nesse segmento.

“Quanto à taxa de câmbio, em meio a desafios locais (riscos de prosseguimento das reformas) e um contexto global desfavorável (e.g. desaceleração econômica, tensões comerciais), projetamos uma taxa cambial de 4,00 por dólar ao final deste ano e 3,90 por dólar ao final de 2020”, aponta o relatório do Rabobank.

De acordo com essa análise, a desaceleração mais acentuada nas principais economias do mundo, além de eventual agravamento nas tensões comerciais ‘sino americanas’ ou até retrocesso no que se refere à pauta de reformas fiscais no Brasil, podem desvalorizar o Real perante o Dólar. 

Por outro lado, ressalta o banco, surpresas positivas em relação à tramitação dos ajustes macroeconômicos, fluxos de entrada de recursos em função das novas concessões e privatizações, e a retomada do afrouxamento monetário por parte dos bancos centrais das principais economias, podem valorizar o Real perante o Dólar.

PIB

Supondo uma volatilidade moderada nas condições financeiras e o avanço das reformas necessárias, diz o banco, é projetado um crescimento do PIB de 0,9% em 2019: “O que daria continuidade ao quadro atual de recuperação gradual da atividade econômica, do emprego e do consumo. Para a taxa básica de juros (Selic), projetamos o fim do ciclo de afrouxamento em 4%, em meados de 2020. Acreditamos que a inflação se elevará de 3,3% este ano para 3,8% no próximo ano, permanecendo ainda abaixo da meta central do BC (4,25% em 2019 e 4,00% em 2020)”.

Segundo a instituição financeira, “somente o controle do crescimento dos gastos obrigatórios com aposentadorias não é suficiente para garantir uma trajetória sustentável para a dívida pública no curto prazo. Outras medidas fiscais, como a reforma administrativa e a criação de mecanismos de ajustes de despesas obrigatórias em situações de emergência fiscal, por exemplo, são de igual importância e já estão sendo endereçadas pela equipe econômica”. 

“A aprovação da reforma da previdência com margem confortável de votos nas duas casas pode ser um bom agouro, uma vez que parece explicitar a convergência do Executivo e Legislativo em torno da urgência da situação fiscal. Além disso, a atual administração parece compreender a necessidade de atacar em paralelo outros gargalos da economia brasileira. A independência formal do banco central, o avanço em privatizações e concessões, a reforma tributária, a simplificação das regulações, melhora do ambiente de negócios e o desbravamento do comércio exterior via novos acordos comerciais são exemplos de como ainda há muito a ser feito”, aponta o Rabobank.

“Em caso de retrocesso ou frustrações na continuidade dos ajustes, o otimismo atual do mercado tende a se reverter, levando a piores condições de mercado e expectativas econômicas. Os impactos financeiros poderiam ser sentidos a qualquer momento, dependendo do grau de paciência dos investidores e das condições financeiras globais”, conclui em seu estudo.

Fonte: Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.