Drought Monitor aumenta áreas de soja e milho sob condições de seca nos EUA; Chicago reage



Imagem: Pixabay


A atualização do Drought Monitor trouxe um novo aumento para as áreas de soja e milho dos Estados Unidos sob condições de seca e deixa a safra 2023/24 ainda mais fragilizada.

As imagens divulgadas nesta quinta-feira (15) indicaram que 51% das áreas cultivadas com a oleaginosa estão sob condições de seca, contra 34% da semana passada. No milho, o índice passou de 49% para 57%. 

{module Form RD}

Os aumentos expressivos vêem confirmando as poucas chuvas que continuam chegando às regiões-chave de produção norte-americanas, agravando as condições dos últimos meses onde as precipitações ficaram abaixo da média. Embora boas para o rápido desenvolvimento do plantio, as condições que se mantiveram não favorecem o desenolvimento das lavouras.

Os estados de Iowa e Illinois, os dois maiores produtores dos Estados Unidos, registraram um crescimento significativo das áreas sob severa ou moderada seca. E neste momento, todo o Meio-Oeste americano é a região do país que mostra mais problemas de seca agora.

O atual cenário vem promovendo uma redução nos índices de lavouras em boas ou excelentes condições tanto de soja, quanto de milho nos Estados Unidos, pelos boletins semanais de acompanhamento de safras reportados todas as segundas-feiras pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). Na última edição, os números vieram em 61% para o milho e 59% para a soja. Na semana anterior, os dados eram de, respectivamente, 64% e 62%.

MERCADOS EM CHICAGO

Na Bolsa de Chicago, os mercados reagiram imediatamente às novas informações, uma vez que o clima nos Estados Unidos é o principal vetor de direção das cotações dos grãos. Assim, perto de 12h30 (horário de Brasília), os futuros da soja subiam de 31,50 a 38,25 pontos, com ganhos mais expressivos nos contratos mais alongados. O julho tinha US$ 14,19 e o novembro – referência importante para a safra americana – US$ 12,74 por bushel.

“Hoje, a safra nova está subindo mais que a safra velha. Isso quer dizer risco de safra. Já desde início da semana, os modelos mostravam o retorno do calor para a próxima semana e poucas chuvas para o centro do Meio-Oeste”, explica o analista de mercado Eduardo Vanin, da Agrinvest Commodities.

Entre os preços do milho, no mesmo momento, as altas variavam de 12,75 a 16,75 pontos, com o julho sendo cotado a US$ 6,20 e dezembro, com US$ 5,65 por bushel.

Fonte: Carla Mendes | Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.