Embrapa Cerrados encerra o 3º Teste de Desempenho de Touros Jovens

O 3º Teste de Desempenho de Touros Jovens (TDTJ), promovido pela Embrapa Cerrados (Planaltina-DF), em parceria com ACZP (Associação dos Criadores de Zebu do Planalto) e AGCZ (Associação Goiana de Criadores de Zebu), iniciado em julho de 2016, foi encerrado em maio. Na última sexta-feira (09) foi realizada reunião técnica com os criadores para divulgação dos resultados, avaliação e aprimoramento da prova.

 

A realização do TDTJ na Embrapa Cerrados é uma forma de tornar o Distrito Federal referência e protagonista no cenário nacional de avaliação de touros jovens, como também contribuir para a disseminação de genética de qualidade aos pecuaristas brasileiros, principalmente os da região Centro-Oeste.

Participaram do 3º TDTJ 58 touros jovens da raça Nelore e 19 da raça Guzerá. Os animais são oriundos de 25 criatórios de Goiás, São Paulo, Tocantins e Mato Grosso, além do Distrito Federal. Dos touros Nelore, 12 foram classificados na categoria Elite, 19 na Superior, 14 na Regular e 13 na Inferior. Entre os animais da raça Guzerá, três tiveram a classificação de Elite, sete de Superior, sete de Regular e dois de Inferior.

O animal classificado em primeiro lugar na categoria Elite, na raça Nelore, foi o Bacheiro Nelore do Oeste, da Fazenda Buritizinho, de Damianópolis (GO). Os touros classificados em segundo e terceiro lugar são o Agravado FIV FVC e Aguaceiro FIV FVC. Ambos da Fazenda Vera Cruz, de Barra do Garças (MT). Os três animais da raça Guzerá classificados como Elite foram os touros Tiete, Tenor S e Tenaz S.

 

 

Reunião – Onze criadores de sete fazendas do Distrito Federal e de Goiás participaram da reunião que ocorreu na sexta-feira passada (09). O pesquisador da Embrapa Cerrados Eduardo Eifert e o técnico Marcos Costa falaram sobre os objetivos do TDTJ e sobre a utilidade das informações obtidas nas avaliações feitas durante a prova para os programas desenvolvidos pelos pecuaristas.

 

Essa foi a segunda reunião entre os pecuaristas e equipe técnica da Embrapa. A primeira foi realizada em fevereiro para adequação da prova. Na ocasião foi constatado o baixo desempenho dos animais em função da qualidade da pastagem. “A partir daquela data fizemos ajustes na suplementação animal para compensar a perda da pastagem e manter o índice de ganho de peso. Com as alterações que fizemos, não ocorrerá mais esse problema”, garantiu o técnico Marcos Costa.

Para a pecuarista Raquel Caputo a oportunidade de acompanhar a evolução das provas é muito importante.  “As reuniões de avaliação permitem à adequação do programa. É uma prova nova na região em que são necessárias algumas correções. Precisamos incentivar que outros criadores participem para fortalecê-la”, disse. Na Fazenda Mineira, no Gama (DF), ela cria 77 animais com o objetivo de vendê-los como reprodutores.

 

 

O resultado da classificação final da prova não foi o mais importante para o pecuarista Luciano Bonfim, da Fazenda Paineiras, localizada em Trindade (GO). Mesmo sem ter tido animais classificados nas categorias Elite e Superior, ele continuará mandando seus touros para os futuros testes. “Tive quatro animais na prova e eles não foram bem esse ano. Esse resultado é bom para eu ver em que posso melhorar e no próximo teste trazer animais mais competitivos”, afirmou.

Prova – O 3º TDTJ englobou a prova de ganho em peso a pasto, com duração de 294 dias, sendo 70 dias de adaptação e 224 dias de prova efetiva. Durante todo o teste, os animais foram mantidos em pastagens renovadas por sistema de Integração Lavoura-Pecuária, sendo suplementados apenas com mineralização adequada para a categoria animal e época do ano. Os animais de ambas as raças participaram do mesmo manejo e da mesma avaliação.

O 3º TDTJ foi finalizado no dia 16 de maio, com a sexta e última pesagem dos touros. Os animais participarão do 1º Teste de Eficiência Alimentar (em confinamento), que ocorrerá em Goiânia (GO), em data ainda a ser definida. A prioridade de vagas será para os animais classificados nas categorias Elite e Superior, porém, havendo disponibilidade e interesse do criador, os animais das demais categorias também poderão participar do teste.

Fonte: Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.