Empresa brasileira desenvolve equipamento de ressonância para detectar teor de óleo em sementes

A FIT – Fine Instrument Technology, empresa brasileira especializada no desenvolvimento de equipamentos e soluções que utilizam Ressonância Magnética Nuclear (RMN), desenvolveu um equipamento 100% nacional capaz de medir, em segundos, o teor de óleo em sementes oleaginosas como soja, milho, girassol, algodão, canola, amendoim e outras castanhas de modo bem prático: é necessário apenas colocar a amostra no equipamento e em segundos o teor de óleo é mostrado na tela. De acordo com Daniel Consalter, pesquisador e sócio da FIT, essa análise utilizando sensores de RMN já era usada para a previsão de rendimento em indústrias de beneficiamento e até para o melhoramento genético, porém em sementes com baixo teor de umidade ou previamente secas em estufa.

“Usualmente, para determinar o teor de óleo nas amostras, utiliza-se a extração com Soxhlet, um método que pode demorar até 48 horas e envolve o uso de solventes e aquecimento, ou seja, é um método lento, perigoso e ‘sujo’, pois gera resíduo e destrói a amostra. Com essa nova tecnologia, a medida poderá ser feita em até três minutos, contando o tempo de amostragem e pesagem. Isto permite que o equipamento agregue valor em toda a cadeia produtora”, esclarece Consalter.

O SpecFIT Oil, nome dado ao novo equipamento, emprega a tecnologia conhecida como Ressonância Magnética Nuclear (RMN), que trata-se de uma técnica robusta capaz de analisar os hidrogênios da amostra. A partir disso é possível tirar diversas informações de maneira rápida, limpa e não destrutiva, como por exemplo o teor de umidade das sementes de várias culturas de oleaginosas. Os testes podem ser realizados tanto em sementes inteiras como em borra ou fibra residual da extração.

“Com a diversificação de culturas de oleaginosas e na busca de culturas que devem ser utilizados para a produção de biodiesel, a necessidade de determinar o teor de óleo desses cultivos aumentou. Além disso, a fibra de algumas sementes oleaginosas, tais como a de soja, também é utilizada para alimentação. Com essa tecnologia podemos determinar o teor de proteína nas amostras. Tanto o USDA e o Canadian Grain Commission usam RMN para o método padrão de determinar o conteúdo da semente oleaginosa”, explica Consalter.

O primeiro equipamento SpecFIT Oil foi instalado no final de março, na DENPASA, no Pará. Lá realiza análise do teor de óleo de dendê diretamente na poupa, diferentemente do modo como é tradicionalmente feito (em sementes com baixo teor de umidade ou previamente secas em estufa), assim como na água de processo, borra e fibra remanescente que são os diferentes estágios de extração de óleo. De acordo com Consalter, o equipamento beneficia todos os estágios do cultivo de óleo de dendê, que vão desde a produção até o beneficiamento.

“Essa tecnologia pode ajudar a definir o melhor ponto de colheita e ainda usar o equipamento no melhoramento genético das sementes. É possível saber também o rendimento da semente antes mesmo da extração, e medir em tempo real o quão eficiente está sendo este processo, avaliando a quantidade de óleo remanescente nos diferentes bagaços e assim, aumentar a produtividade de óleo. A medida poderá ser feita também no produto final, como por exemplo, para medir a qualidade de margarina já embalada”, enumera Consalter.

Consalter destaca ainda que, como a quantidade de óleo no fruto varia até 20%, é importante para a indústria ter uma forma de analisar a matéria prima desde o recebimento da carga. Isto é possível de ser feito com o SpecFIT Oil, já que permite uma análise extremamente rápida.

Sobre a FIT

A Fine Instrument Technology (FIT) é uma empresa de pesquisa, desenvolvimento e inovação que desenvolve equipamentos e soluções utilizando Ressonância Magnética Nuclear (RMN). Situada em São Carlos (SP), a FIT possui uma equipe formada por físicos, químicos, engenheiros, técnicos e cientistas de computação altamente qualificados. A empresa possui estreitas relações com os grupos de RMN da EMBRAPA Instrumentação e com a Universidade de São Paulo (USP) através do CIERMag (Centro de Imagens e Espectroscopia in vivo via Ressonância Magnética). Tais parcerias somam-se à equipe de pesquisa e desenvolvimento da FIT garantindo soluções inovadoras e de alta tecnologia e qualidade, com aplicações em diversas áreas como agricultura, alimentos, industrial, médica e instrumentação científica.

 

 

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.