Governo do Paraná e Incra liberam recursos para assentamentos

Assentamentos de Querência do Norte (região noroeste) que trabalham com a cultura do arroz foram beneficiados com a liberação nesta segunda-feira (20) da segunda parcela de convênio entre o Incra e Secretaria estadual da Agricultura e do Abastecimento no valor R$ 1,68 milhão. São mais de 500 famílias da agricultura familiar assentados na região, que receberão equipamentos para parboilização de arroz.

Segundo o secretario Norberto Ortigara, este recurso complementa agora o total do convênio de R$ 4,14 milhões, destinados à reestruturação do beneficiamento e comercialização de arroz, com aquisição de máquinas e equipamentos para o complexo agroindustrial da Cadeia Produtiva do Arroz para a parboilização do cereal. “Este recurso vai contribuir, decisivamente, para que o parque industrial já instalado processe o arroz produzido pelos assentamentos de Querência do Norte”, destaca.

Para o diretor de Desenvolvimento de Projetos de Assentamentos, Ewerton Giovanni dos Santos, a segunda etapa da liberação de recursos deste convênio vem para viabilizar o acesso dos produtores ao mercado. Com a aquisição de um dos equipamentos mais importantes do sistema produtivo, que é a parboilização do arroz. “A reforma agrária, com todas as dificuldades que enfrenta do ponto de vista orçamentário, está conseguindo fazer chegar até o produtor um equipamento que vai agregar valor ao seu produto, abrindo as portas da comercialização para exportação de seu produto”, diz Ewerton.

FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR - Querência do Norte é a região onde se concentra a produção de arroz irrigado no Paraná. Para a prefeita Rozinei Raggiotto Oliveira, os benefícios da aquisição destes equipamentos serão enormes. “Os assentamentos movimentam a economia da cidade, e a possibilidade de agregar valor à produção é muito bem-vinda”, diz.

 

A cidade recebeu inúmeros assentamentos ao longo dos últimos 20 anos. No total são mais de 700 famílias que têm uma boa experiência em produção de laticínios e se destacam na produção de arroz.

Segundo Giovani Braum, presidente da Cooperativa de Comercialização e Reforma Agrária Avante, que representou os assentados na assinatura do convênio, os agricultores se dedicam cada vez mais a melhorar sua produção, e o apoio do governo é fundamental.

A Secretaria da Agricultura é responsável pela gestão do convênio, processo de licitação e aquisição dos equipamentos. Segundo Richardson de Souza, diretor de Desenvolvimento Agropecuário da secretaria, a contrapartida em recursos é de R$ 48.680,00. “Temos buscado sempre a eficiência nos processos licitatórios para encontrar bons fornecedores e preços competitivos”.

Estiveram presente à assinatura do convênio o deputado federal Fernando Francischini, responsável por uma intermediação que agilizou a assinatura desta segunda etapa do convênio; lideranças do MST, representantes dos assentamentos e o presidente do Emater, Rubens Ernesto Niederheitmann.