Renovação na Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão fortalece o setor

Ministério da Agricultura publica portaria atualizando integrantes e instituições do órgão e nomeando novo presidente

A nova portaria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que atualiza integrantes e instituições que compõem a Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP), assim como nomeia um novo presidente, representa uma valorização do órgão que foi criado com o objetivo de fortalecer ações entre os ramos de pesquisa, ensino e desenvolvimento de tecnologias voltadas ao setor. A portaria de número 820 foi publicada no dia 6 de abril último no Diário Oficial da União pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi. O novo presidente que exercerá o cargo por dois anos, em substituição ao professor José Paulo Molin, é o engenheiro Marcio Albuquerque, que representa na Comissão a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). 

 
 

O coordenador da Comissão e representante do Ministério no órgão, o engenheiro agrônomo Fabrício Juntolli, afirma que essa renovação fortalece a importância dada ao setor de Agricultura de Precisão para a competitividade e sustentabilidade do agronegócio. Destaca também que com a nova portaria, a CBAP incorpora a Associação Brasileira de Agricultura de Precisão (AsBraAP) e a Associação Brasileira dos Prestadores de Serviços de Agricultura de Precisão (ABPSAP). “Cabe ressaltar que estas Associações foram criadas no âmbito do Ministério da Agricultura e da Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão, sendo fundamentais e estratégicas para a organização do setor e sua representatividade tanto no Brasil como no exterior”, enfatiza.

Segundo o novo presidente da CBAP, a Comissão foi a primeira organização formal do setor de agricultura de precisão no país e tem conseguido apoiar a estruturação de outras formas de organização, como o fortalecimento do Congresso Brasileiro de Agricultura de Precisão (ConBAP) e a fundação da AsBraAP e da ABPSAP. Afirma que os desafios para fazer a agricultura de precisão seguir crescendo no Brasil são muitos, mas com organização já foi possível dar alguns passos importantes. “O novo prestígio que o Ministério tem dado para a CBAP ajudará a acelerar as conquistas do setor. Temos como desafios pela frente conseguir mapear de forma oficial os níveis de adoção da tecnologia no país, seguir apoiando a formação de pessoal qualificado para trabalhar com agricultura de precisão, aumentar a divulgação do tema entre todos produtores e estar conectados com os avanços do tema no mundo," observa Albuquerque.
 
Fonte: Agrolink