Ensaio de pesquisa comprova eficiência de estratégia nutricional para estresse climático na cultura do milho

Plantas mais vigorosas, com maior crescimento  e maior produtividade em condições de falta de chuva e altas temperaturas foram os principais resultados

Na região de Araguari, no Triângulo Mineiro, ensaio de pesquisa realizado em área de milho Safrinha mostra a eficiência de estratégia nutricional fisiológica à base de algas e seus compostos orgânicos em situações de estresse ambiental. Uma área experimental, de 2000 m², passou por condições adversas, como calor em excesso e falta de água durante 40 dias na fase vegetativa das plantas. Apesar desse cenário, com aplicação de tratamento nutricional, as plantas conseguiram completar seus processos fisiológicos e apresentaram bons resultados no desenvolvimento.

O resultado demonstrou que o tratamento aplicado manteve a lavoura em atividade e com desempenho superior ao da testemunha (área que não recebe o tratamento para efeito de comparação experimental).  Plantas da área experimental mostraram um crescimento de 181,20 cm, já as plantas que não receberam a estratégia nutricional, apresentaram altura média de 168,40 cm. Os diâmetros dos pés de milho também foram diferentes: milho com tratamento (23,30 mm) e testemunha (22, 4 mm) e a produtividade também foi superior, onde a produção da área tratada foi de 6181,54 kg/ha e da testemunha produziu 4996,15 kg/ha.

 

A área esteve durante 40 dias sob elevada temperatura – acima de 30ºC, sem chuva ou irrigação.  “Houve efeito marcante no alívio dos estresses, fazendo com que as plantas de milho, mesmo sob condições impróprias de desenvolvimento, se mantivessem ativas. Ou seja, a planta conseguiu  realizar fotossíntese, mesmo que em taxas reduzidas, em relação àquelas que não receberam o tratamento”, explica o doutor em fisiologia vegetal, Marcio Domingues, gerente Técnico da empresa Tradecorp do Brasil.

A grande vantagem do tratamento foi manter as plantas hidratadas e elevar suas taxas fotossintéticas em relação à área de lavoura testemunha. Domingues explica ainda que “extrato de algas Ascophylum nodosum e seus componentes orgânicos, bem como os aminoácidos e também o cálcio e boro têm ação efetiva na proteção da planta contra estresses ambientais”.

Foto: Do lado esquerdo, espigas de milho da área testemunha (que não receberam tratamento nutricional), mostram problemas de desenvolvimento, enquanto no lado direito (espigas da área onde tratamento foi aplicado), mostram melhor desenvolvimento

 

Agrolink com informações de assessoria
 
 
 
 

Recomendados para Você
Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.