Entenda como a irrigação pode aumentar a produtividade


Imagem: Pixabay


Nadando contra a maré da seca, agricultor Fernando Mantuan, 27 anos, se destaca pela alta produtividade nas culturas de grãos e hortifrúti. O segredo está na irrigação: desde 2015, ele coloca a água como o centro do seu manejo, tendo investido em 23 pivôs para irrigar 1.850 dos 4.300 hectares localizados na região de Araguari, MG. O produtor trabalha com as culturas de milho, soja semente, feijão, ervilha, girassol, sorgo, trigo, café, cebola e batata, sendo uma referência em qualidade para o mercado. “Desde 2007, a gente planta tomate, eu cheguei a ser um dos maiores produtores do Brasil. Mas, em 2015, a gente percebeu que a cultura estava em um momento instável, e enxerguei no pivô um grande potencial para retomar a produtividade”, comenta.

{module Form RD}

De acordo com os dados divulgados pela Cooperativa de Produtores Rurais (Coopercitrus), os dois primeiros pivôs instalados, com abrangência de 280 hectares, foram adquiridos através de projetos da Coopercitrus, planejados para gerar a maior eficiência com o uso racional de água. “Hoje a gente tem a Coopercitrus como uma grande parceira, presente no dia a dia da lavoura e de tudo o que é convertido em valor agregado à nossa produtividade”, avalia o produtor.

Com o passar dos anos, a área irrigada cresceu, chegando a 1.850 hectares do total. O suprimento de água, com capacidade de 1.8 milhão de litros de água por hora, é feito via represa, reservatórios de água e poços artesianos: “A gente faz um planejamento para saber quanto de água vai precisar por ano, e dentro desse planejamento eu sei quantos metros cúbicos de água que vou demandar”, explica o produtor.

Com água na quantidade certa o ano todo, Fernando alcançou um nível de produtividade diferenciado. Na média, ele calcula que cada hectare irrigado representa a produtividade do que teriam quatro hectares de sequeiro. A qualidade da produção também aumentou, tendo destaque para a soja, com média de 95 sacas colhidas por hectare.

“Quando a gente irriga, a gente sai do risco. Isso gera mais competitividade nas negociações, porque a gente passa a trabalhar com culturas de alto valor agregado. Tudo o que pudermos fazer para melhorar nosso negócio, a gente faz”, salienta o jovem empreendedor.

Por: Aline Merladete | Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.