Aberta oficialmente colheita da uva

Em cerimônia realizada no sábado (16), na Vinícola Campestre, em Vacaria, o governador Eduardo Leite abriu oficialmente a colheita da uva no estado. Maior produtor nacional de uva e vinho do país, o Rio Grande do Sul deve colher neste ano um volume 10% menor em relação ao produzido em 2018, quando a safra foi de 663,2 milhões de quilos, conforme projeções do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). Apesar do granizo que castigou os parreirais gaúchos, o vice-presidente da Associação Gaúcha de Vinicultores (AGAVI) e diretor da Vinícola Campestre, João Zanotto lembrou que algumas regiões do estado como a dos Campos de Cima da Serra a situação foi um pouco diferente.
 
“Nessa região o inverno foi bem rigoroso e não tivemos pedras, o que deve nos possibilitar uma safra de uva excelente esse ano, principalmente com as variedades merlot, sauvignon blanc e pinot noir, sendo as variedades que mais se adaptaram a essa região dos campos de cima da serra”. Apenas a região dos Campos de Cima da Serra, composta por 11 municípios, deve colher quase 30 milhões de quilos nesta safra. 
 
Durante a visita às novas instalações da Vinícola Campestre, o governador reforçou a importância do setor primário: "A gente sabe que, especialmente no caso da uva, houve episódios complicados, até com queda de granizo, que afetaram a produção, mas o povo gaúcho, resiliente e com disposição para trabalhar, garante ainda assim uma safra importante. Portanto, a gente está aqui para celebrar essa capacidade de superação e valorizar quem produz para o nosso estado".

Os parreirais ocupam quase 50 mil hectares no Rio Grande do Sul, responsável por 90% da produção nacional. A atividade movimenta R$ 3,5 bilhões por ano no estado e envolve diretamente 15 mil famílias de pequenos agricultores. Já são 138 tipos de uva cultivadas.

Fonte: Agrolink | Autor: AGROLINK COM INF. DE ASSESSORIA