Argentina pode superar Brasil na exportação de milho pelo ano seguido

A Argentina poderá superar o Brasil na exportação de milho pelo segundo ano consecutivo na temporada 2016/17, indicaram nesta quarta-feira avaliações do adido agrícola do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Em 2015/16, os argentinos já superaram seus vizinhos após uma seca reduzir drasticamente a produção do Brasil, que nos últimos anos tem sido o segundo exportador global, atrás dos EUA. Mas em 2016/17, os embarques do cereal da Argentina superariam os do Brasil em meio a um grande crescimento da produção brasileira e também no país vizinho.

Nesta quarta-feira, o adido do USDA estimou a exportação de milho da Argentina em 2016/17 em 26 milhões de toneladas, 1 milhão de toneladas acima da projeção oficial do USDA.(bit.ly/2eH4Rm6) "Esse aumento por causa de um crescimento nos estoques iniciais (de 2016/17), com o adido colocando a produção 2015/16 em 30 milhões de toneladas, 2 milhões acima do número oficial do USDA, devido a uma maior área plantada. A produção adicional deve permitir um maior volume de exportação em 15/16, a 20,5 milhões de toneladas...", segundo o relatório.

 

Os dados do adido não são considerados oficiais pelo USDA, que ainda vê as exportações brasileiras em 25,5 milhões de toneladas, acima das argentinas, projetadas em 25 milhões de toneladas. A produção de milho da Argentina em 2016/17 foi estimada pelo adido em 36,5 milhões de toneladas, igual à estimativa do USDA. Na temporada 2015/16, os argentinos produziram 28 milhões de toneladas, segundo o departamento dos EUA.

A safra 16/17 de milho da Argentina está em fase de plantio, com cerca de um terço tendo sido concluído até o momento, segundo o relatório do adido. De acordo com o USDA, a safra brasileira vai crescer de 67 milhões de toneladas em 2015/16 para 83,5 milhões em 2016/17.

 

Fonte: Agrolink