Produtor brasileiro prefere combinação de tecnologias nos transgênicos

Na hora de escolher a semente transgênica, o produtor brasileiro prefere a combinação de tecnologias RI/TH (tolerante a insetos e herbicidas) tanto na soja como no milho e algodão. É o que aponta o “3º Levantamento de Adoção da Biotecnologia Agrícola no Brasil, Safra 2016/17”, produzido pela Consultoria Céleres.

De acordo com o boletim divulgado, a tecnologia RI/TH atingiu 32 milhões de hectares, o que significa taxa de adoção de 65,1%. “Mesmo com a liberação comercial de eventos com genes simples, há uma clara preferência a esta tecnologia por parte do produtor rural”, afirma a Céleres. 

 

De acordo com a Consultoria, os eventos com genes simples poderão complementar o funcionamento dos stacks. Podem ainda ser utilizados como rotação de tecnologias e controles de problemas específicos, dentro do manejo integrado.

 

Existem atualmente 31 tecnologias aprovadas com genes combinados, o que representa 44,9% do total. São três tecnologias combinadas para a cultura da soja, outras 22 para a cultura do milho e ainda seis para o algodoeiro.

No total, já são 69 eventos aprovados para comercialização, assim distribuídos: 12 resistentes a insetos, 21 tolerantes a herbicidas, 31 com genes combinados, um resistente a doenças, um para aumento de produtividade, um para restauração de fertilidade da planta, um para aumento de rendimento industrial e um tolerante ao estresse hídrico. “Os dois últimos, junto com um evento tolerante ao glifosato, foram aprovados somente para importação e consumo e não para cultivo, em caráter especial na safra 2015/16”, conclui a Céleres.

Fonte: Agrolink