EUA: plantio de trigo atinge 22% da área esperada

A cotação do trigo em Chicago após se estabilizar durante a semana, recuou fortemente no dia 09/05 (quinta-feira) e fechou o dia em US$ 4,21/bushel, contra US$ 4,33 uma semana antes. O mercado trabalhou na expectativa do relatório de oferta e demanda do USDA, a ser anunciado no dia 10/05, assim como acompanhou de longe o andamento das negociações entre EUA e China, embora as mesmas pouco o atinjam diretamente.

As lavouras de trigo de inverno nos EUA, até o dia 05/05, apresentavam 64% entre boas a excelentes, 28% regulares e 8% entre ruins a muito ruins. Já o plantio do trigo de primavera atingia a 22% da área esperada, contra 49% na média histórica.

Já as vendas líquidas de trigo estadunidenses, para o ano 2018/19, somaram 122.100 toneladas na semana encerrada em 25/04, ficando 72% abaixo da média das quatro semanas anteriores. Para o ano 2019/20 as mesmas alcançaram 297.400 toneladas. O mercado esperava, na soma dos dois anos, um total entre 250.000 e 850.000 toneladas. Por sua vez, as inspeções chegaram a 477.918 toneladas na semana encerrada em 02/05.

Quanto às expectativas em torno do relatório do USDA, o mercado esperava estoques finais nos EUA, para 2018/19, ao redor de 29,9 milhões de toneladas e para 2019/20 um volume de 29,2 milhões.

Já no Mercosul, a tonelada FOB para exportação se manteve entre US$ 215,00 e US$ 220,00, enquanto a safra nova argentina ficou em US$ 180,00, ambas na compra.

E no Brasil, igualmente poucas mudanças houve no quadro do mercado do trigo. O balcão gaúcho fechou a semana na média de R$ 41,32/saco, enquanto os lotes se mantiveram em R$ 48,00/saco. No Paraná e em Santa Catarina, os valores médios do balcão e dos lotes ficaram nos mesmos níveis da semana anterior.
Na verdade, o mercado com produto nacional está praticamente parado, pois não há produto de qualidade superior disponível. Agora, a expectativa é para com o plantio, que se desenvolve. No geral, espera-se a repetição da área semeada no ano passado, ou seja, algo em torno de 2 milhões de hectares.

No Paraná, segundo o Deral, a semeadura do trigo atingia a 26% da área esperada até o dia 05/05, contra a média de 30% nos últimos anos para esta época. Por enquanto, 97% das lavouras semeadas apresentam condições positivas. No Rio Grande do Sul, o plantio apenas está se iniciando, sem destaque estatístico por enquanto.

Quanto a comercialização, o mercado deverá continuar lento até a entrada da nova safra. O balizador dos preços continuará sendo o produto importado, pelo qual os moinhos locais se abastecem. Esta importação, em caso de continuidade da desvalorização do Real, tende a ficar mais cara, podendo elevar o preço do produto nacional. Porém, tudo irá depender do tamanho e da qualidade da nova safra brasileira de trigo, a qual começa pelo Paraná, em setembro.

Em clima normal espera-se um volume de 6,6 milhões de toneladas, ou seja, 27% acima do colhido na relativamente frustrada safra do ano passado. Em se confirmando tal volume, os preços do cereal devem ceder no país. Além disso, deve-se alertar para o fato de que, em a Reforma da Previdência avançando, o câmbio tende a voltar a patamares de R$ 3,70 por dólar, favorecendo as importações.


Postagem | Guilherme R. Bezzarro
Autor | Aline Merladete
Fonte | Agrolink 
Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.