Exportações agrícolas dos EUA chegam a US$ 200 bi em 2022, com recorde para a China



Imagem: Pixabay


As exportações de produtos agrícolas e relacionados dos Estados Unidos atingiram níveis recordes em valor em 2022, embora os preços mais altos tenham desempenhado um papel importante, já que os volumes de alguns itens relevantes, como grãos e carne, caíram no ano.

Os embarques agrícolas dos EUA foram avaliadas em 213 bilhões de dólares no ano passado, acima da máxima anterior de 192 bilhões estabelecida em 2021. O total do ano passado representou 7,1% acima da média de todas as exportações dos EUA em 2022, que atingiram um recorde de 3 trilhões de dólares em bens e serviços.

{module Form RD}

A China foi o principal destino dos produtos agrícolas dos EUA em 2022, com um recorde de 19,2% do valor, liderado pelo aumento das compras de soja, algodão e carne bovina. Canadá, México e Japão completaram os quatro primeiros compradores com 16%, 14% e 8%, respectivamente, do total de exportações dos EUA em 2022.

Apesar do valor recorde, os volumes totais nas principais categorias de produtos foram menores no ano. As exportações a granel, incluindo milho, soja, trigo, algodão e sorgo, totalizaram 146 milhões de toneladas, queda de 6% em relação a 2021.

As exportações de carne bovina, suína, aves e produtos relacionados ficaram em 8,2 milhões de toneladas, queda de 1% no ano.

As exportações de produtos intermediários, incluindo farelo de soja, óleo de soja e grãos de destilaria, caíram 4% no ano, embora as exportações de etanol tenham subido 9%, para o maior nível em três anos.

As exportações americanas de milho e soja, os dois principais itens agrícolas de maior bilheteria, podem cair este ano em relação ao ano passado devido principalmente à forte concorrência da América do Sul. As difíceis relações entre os Estados Unidos e a China também têm esse fluxo comercial constantemente em questão.


ALTOS PREÇOS

Os preços globais das commodities subiram nos últimos dois anos devido ao aumento das preocupações econômicas e da inflação, e os preços de produtos agrícolas foram sustentados pelo encolhimento da oferta de grãos e oleaginosas. Esse rali atingiu o auge há um ano, em meio à invasão russa da Ucrânia, ambos grandes exportadores do setor.

Como resultado, o custo médio de exportação de milho, soja e trigo dos EUA atingiu novos recordes em 2022. O milho a 321 dólares por tonelada subiu 19% no ano, a soja a 601 dólares por tonelada subiu 16% e o trigo subiu 35%, para 407 por tonelada.

As máximas anteriores foram de 299 dólares para o milho em 2011, a soja em 568 em 2012 e o trigo em 376 em 2008.

As exportações de soja dos EUA em 2022 aumentaram 8% no ano em volume, mas o milho caiu 16% e o trigo caiu 13%. No entanto, os embarques totais de milho ficaram cerca de 2% acima da média de cinco anos.


CHINA

As exportações agrícolas e relacionadas dos EUA para a China em 2022 atingiram um recorde de 40,85 bilhões de dólares, um aumento de 14% em relação à máxima anterior estabelecida no ano passado. Isso teria cumprido a meta de 2020, conforme descrito na Fase 1 do acordo comercial assinado há três anos sob o governo Trump, que exigia que as compras da China nos EUA em 2020 atingissem pelo menos 36,5 bilhões de dólares.

Em volume, as exportações de soja dos EUA para a China em 2022 aumentaram 11% no ano, para 30,4 milhões de toneladas, mas um declínio ano a ano teria sido altamente provável se o maior exportador Brasil não tivesse sofrido uma seca severa. O Brasil está atualmente colhendo sua safra recorde de soja.

As exportações de milho dos EUA para a China no ano passado caíram 14% em volume em relação à máxima de 2021, e as encomendas futuras são relativamente muito pequenas. O Brasil também tem uma participação nisso, já que seu comércio de milho com a China foi aberto no final do ano passado e os embarques aumentaram.

As exportações de carne bovina dos EUA para a China atingiram um recorde de 244.000 toneladas em 2022, um aumento de 28% no ano e no valor de 2,16 bilhões de dólares, superando o montante de 1,36 bilhão de dólares da carne suína. As exportações de carne suína para a China caíram 26% no ano, para 534.000 toneladas, uma queda de 46% em relação ao pico de 2020.

Fonte: Karen Braun | Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.