Média mensal de exportações de carne suína superam 100 mil toneladas pela primeira vez na história

Imagem: Freepik

Pela primeira vez, a média mensal das exportações de carne suína superaram o patamar de 100 mil toneladas, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABRA). De acordo com a entidade, os embarques do produto em agosto alcançaram 112,8 mil toneladas (considerando todos os produtos, entre in natura e processados). Em resumo, a média acumulada neste ano chega a 100,9 mil toneladas mensais, superando o índice registrado no mesmo período de 2022, com 93,3 mil.

Em contrapartida, em agosto de 2022 houve uma retração de 3,1%, considerando o total exportado no período do ano passado em 116,3 mil toneladas. A receita das exportações desse mês alcançou US$ 253,1 milhões, 5,9% menor que o total registrado no oitavo mês de 2022, com US$ 269 milhões. 

No ano (janeiro a agosto), as vendas internacionais chegaram a 807 mil toneladas, 11,8% superior às exportações acumuladas no mesmo período de 2022, com 722,8 mil toneladas. Em receita, a alta acumulada é de 19,2%, com US$ 1,916 bilhão em 2023, contra US$ 1,607 bilhão no ano anterior.

China lidera exportações de carne suína em 2023, seguida pelas Filipinas, Hong Kong e Chile; México destaca-se como mercado emergente

Entre os principais destinos das exportações em 2023, a China segue na liderança, com 282,9 mil toneladas, volume 4,5% superior ao registrado em 2022. Em seguida estão Filipinas e Hong Kong, ambos com 78 mil toneladas, e o Chile, com 56,6 mil toneladas.

“Melhor resultado da série mensal de 2023, o mês de agosto estabelece um novo patamar nas exportações de carne suína, pela primeira vez acima das 100 mil toneladas. Outro ponto marcante do mês foi o desempenho registrado pelo México, mercado recentemente aberto e que já figura entre os 10 principais destinos das exportações do setor”, avalia o presidente da ABPA, Ricardo Santin.

No ranking, Santa Catarina lidera com 62,7 mil toneladas exportadas em agosto, seguida pelo Rio Grande do Sul, com 22,9 e Paraná, com 15,5.

“A China continua como principal mercado para exportadores brasileiros, porém há a presença de novos mercados com volumes relevantes e de alto valor agregado recentemente. Ou seja, é esperado os primeiros embarques para o recém aberto mercado da República Dominicana, comenta o diretor de mercados da ABPA, Luis Rua.

Fonte: Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.