Fórum reforça importância do trigo para o sistema de produção

A produção e a rentabilidade na cultura do trigo foram os temas principais do Fórum do Trigo, realizado na tarde de desta quarta-feira, 4, no auditório central do Parque da Expodireto Cotrijal. Apesar de ser apontada pelos palestrantes como uma cultura “que não empolga” os produtores em geral, foi reforçada como importante alternativa dentro do sistema de produção.

Cláudio Kapp Júnior, pesquisador do Setor de Economia Rural da Fundação ABC, trouxe resultados de pesquisa realizada entre 1995 e 2018, abordando 25 safras em uma área de 422 mil hectares de trigo no Paraná e em São Paulo. O resultado final apontou lucro de cerca de R$ 230,00 por hectare. “Isso é expressivo. Mostra que o trigo é muito importante dentro do sistema de produção e uma boa opção de inverno. Não é a única, mas o produtor pode introduzir o trigo para aumentar os índices de rentabilidade de sua propriedade”.

O pesquisador afirmou que o produtor está acostumado a, normalmente, avaliar uma safra independente, isolada. Assim, pode encontrar um saldo negativo para o trigo e achar que a cultura não é rentável na sua propriedade. “No entanto, a pesquisa comprovou que numa média de anos bons e ruins, o trigo foi mais rentável do que a cobertura verde, que não tem contrapartida de receita”, comentou.

Já o coordenador da assessoria do Grupo Agros, Carlos André Fiorin, recomendou ao produtor planejar lavoura, levando em conta a realidade de cada região, e ficar atento aos custos de produção que tiveram uma alta importante nos últimos cinco anos. “Necessariamente, não precisa ter lucro, mas tem que cobrir pelo menos uma parte dos custos dentro da propriedade”, pontuou.

Para Fiorin, se o produtor alcançar uma média mínima de 60 sacos/hectare, ele consegue aumentar a rentabilidade de sua propriedade. “Se o produtor vender esta produção no valor de R$ 44,00 o saco, sobra R$ 1.000,00 para auxiliar nos custos de outros setores da propriedade”.

Paulo Cezar Vieira Pires, presidente da Federação das Cooperativas Agropecuárias do RS (FecoAgro/RS), enfatizou que das 10 milhões de toneladas de trigo consumidas no Brasil, 2 milhões de toneladas são produzidas no RS.

Ele não apresentou números, mas fez questão de mencionar os benefícios do cereal no sistema de produção, como formação de palhada, melhor controle de pragas, doenças e plantas daninhas e otimização do maquinário e mão de obra. “Se vai plantar trigo, planta bem. O produtor quer ter resultados. Aumentar a produtividade sem gastar mais por isso”, concluiu.

Fonte: Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.