Kremlin diz que perspectiva para acordo de grãos no Mar Negro “não é tão boa”



Imagem: Pixabay


O Kremlin disse nesta quarta-feira que as perspectivas para o acordo histórico de grãos do Mar Negro negociado pela ONU não eram boas, já que as promessas de remover obstáculos às exportações russas de produtos agrícolas e fertilizantes não foram cumpridas.

O acordo de grãos é uma tentativa de aliviar uma crise alimentar que antecedeu a invasão russa da Ucrânia, mas foi agravada pela guerra mais mortal na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

{module Form RD}

O acordo, que expira no próximo mês em sua forma atual, foi assinado pela primeira vez por Rússia, Ucrânia, Turquia e Nações Unidas em julho do ano passado e prorrogado duas vezes.

No papel, ele permite a exportação de alimentos e fertilizantes, incluindo amônia, de três portos ucranianos no Mar Negro. Mas Moscou diz que as exportações russas de alimentos e fertilizantes estão comprometidas por obstáculos –como impedimentos a seguro e pagamentos– que devem ser removidos.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que o acordo atual não está funcionando para a Rússia, apesar de alguns esforços das Nações Unidas para implementar as partes do acordo relacionadas aos interesses de Moscou.

“Nenhum acordo pode se apoiar em uma perna: deve se sustentar em duas pernas”, disse Peskov a repórteres. “A esse respeito, é claro, a julgar pela situação atual, as perspectivas (para sua extensão) não são tão boas.”

A Rússia e a Ucrânia são dois dos mais importantes produtores de commodities agrícolas do mundo e os principais players nos mercados de trigo, cevada, milho, colza, óleo de colza, semente de girassol e óleo de girassol. A Rússia também é dominante no mercado de fertilizantes.

Mais de 27 milhões de toneladas de grãos e outros alimentos foram exportados da Ucrânia a bordo de 881 navios desde que a Iniciativa de Grãos do Mar Negro começou em agosto, mostram dados oficiais.

No mês passado, a Rússia disse que estenderia o acordo por mais 60 dias, embora as Nações Unidas, a Ucrânia e a Turquia tenham pressionado por uma renovação de 120 dias. Moscou diz que o acordo expira em 18 de maio.

“Exatamente metade deste acordo não funcionou e não está funcionando até agora”, disse Peskov.

“Sabemos que os representantes da ONU estão fazendo alguns esforços, mas não estão conseguindo e ainda assim a segunda metade do acordo não funciona”, disse Peskov.

A Rússia disse repetidamente que qualquer nova extensão do acordo exigirá que uma série de suas demandas sejam atendidas pelo Ocidente, incluindo a reconexão do Banco Agrícola Russo (Rosselkhozbank) ao sistema de pagamento SWIFT.

Outras demandas incluem a retomada do fornecimento de máquinas e peças agrícolas, o fim das restrições a seguros e resseguros, o acesso a portos, a retomada do duto de amônia Togliatti-Odesa e o desbloqueio de ativos e contas de empresas russas envolvidas em alimentos e exportação de fertilizantes.

Fonte: Guy Faulconbridge | Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.