Malásia diz que pode interromper exportação de óleo de palma à UE após novas restrições



Imagem: Pixabay


A Malásia disse nesta quinta-feira que poderia parar de exportar óleo de palma para a União Europeia em resposta a uma nova lei da UE destinada a proteger as florestas por meio de uma regulamentação estrita da venda do produto.

O ministro das Commodities, Fadillah Yusof, disse que a Malásia e a Indonésia discutiriam a lei, que proíbe a venda de óleo de palma e outras commodities ligadas ao desmatamento a menos que os importadores possam mostrar que a produção de seus produtos específicos não danificou as florestas.

{module Form RD}

A UE é um grande importador de óleo de palma e a lei, aprovada em dezembro, levantou protestos dos os principais produtores mundiais, Indonésia e Malásia.

“Se precisamos engajar especialistas do exterior para combater qualquer movimento da UE, temos que fazê-lo”, disse Fadillah a repórteres durante um seminário na quinta-feira.

“Ou a opção pode ser apenas pararmos as exportações para a Europa, apenas nos concentrarmos em outros países se eles (a UE) estiverem dificultando a exportação para eles.”

Ativistas ambientais culpam a indústria de óleo de palma pelo desmatamento desenfreado das florestas tropicais do Sudeste Asiático, embora a Indonésia e a Malásia tenham criado padrões de certificação de sustentabilidade obrigatórios para todas as plantações.

Fadillah, que também é vice-primeiro-ministro, instou os membros do Conselho dos Países Produtores de Óleo de Palma (CPOPC) a trabalharem juntos contra a nova lei e a combater “alegações infundadas” feitas pela UE e pelos Estados Unidos sobre a sustentabilidade do óleo de palma.

O CPOPC, liderado pela Indonésia e pela Malásia, já acusou a UE de visar injustamente o óleo de palma.

Respondendo a Fadillah, o embaixador da UE na Malásia disse que o bloco não estava proibindo nenhuma importação de óleo de palma do país e negou que a lei de desmatamento criasse barreiras às exportações da Malásia.

“(A lei) aplica-se igualmente a commodities produzidas em qualquer país, incluindo estados membros da UE, e visa garantir que a produção de commodities não leve a mais desmatamento e degradação florestal”, disse o embaixador da UE, Michalis Rokas, à Reuters.

Rokas acrescentou que espera encontrar Fadillah para aliviar as preocupações da Malásia.

Estimava-se que a demanda da UE por óleo de palma diminuísse significativamente nos próximos 10 anos, mesmo antes da aprovação da nova lei. Em 2018, uma diretiva de energia renovável da UE exigiu a eliminação gradual dos combustíveis de transporte à base de palma até 2030 devido à sua ligação com o desmatamento.

Indonésia e Malásia abriram processos separados na OMC, dizendo que a medida de combustíveis é discriminatória e constitui uma barreira comercial.

O presidente da Indonésia, Joko Widodo, e o primeiro-ministro da Malásia, Anwar Ibrahim, concordaram esta semana em “combater a discriminação contra o óleo de palma” e fortalecer a cooperação por meio do CPOPC.

A UE é o terceiro maior consumidor mundial de óleo de palma, de acordo com dados do Malaysian Palm Oil Board. É responsável por 9,4% das exportações de óleo de palma da Malásia, totalizando 1,47 milhão de toneladas em 2022, uma queda de 10,5% em relação ao ano anterior.

Fonte: Mei Mei Chu | Notícias Agrícolas 

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.