Mercado mundial do trigo mudou significativamente

Na avaliação do analista sênior da Consultoria Trigo & Farinhas, Luiz Carlos Pacheco, houve significativas mudanças no mercado mundial do trigo. O especialista aponta que surgiram novos fundamentos para a temporada 2016/17: 

1. A Rússia e não os EUA são os maiores exportadores mundiais de trigo: na safra 2000/01 os EUA detinham 32% de share no mercado mundial de trigo e a Rússia apenas 4%, mas ela fez um programa para aumentar sua participação até 2020/21 que, já em 2015/16, atingiu o seu objetivo: hoje a Rússia detém 16% do mercado mundial de trigo, contra 13% dos EUA. Se forem adicionados os países do Mar Negro (Ucrânia e Romênia), esta região detém um total de 31%, o mesmo que os EUA detinham nos anos 90, tornando-a a mais importante a ser considerada no mercado mundial.

2. A Rússia é que faz os preços do trigo no mundo, não mais Chicago: Com seu poder de penetração nos principais mercados mundiais a Rússia determina os preços vencedores das grandes licitações, impondo o seu preço (ao redor de US$ 162/t FOB nesta sexta-feira) como base das negociações no mercado mundial. A primeira consequência disto é o aumento dos estoques de trigo americano (de 16MT para 20,5MT e depois para 27MT nas três últimas safras), por falta de competitividade e escoamento de exportação e consequente queda das cotações em Chicago e Kansas City a níveis mais baixos do que há 10 anos.

3. A força do Mar Negro, porém, fica reduzida aos meses entre julho e dezembro, quando congela o Mar de Azov, por onde são escoadas as suas exportações. Entre dezembro e março e até junho, quando termina a colheita russa de inverno, abre-se espaço para outros exportadores mundiais que tenham igual qualidade e competitividade.

4. A Argentina se encaixa no período pós Mar Negro e deverá encontrar escoamento para boa parte do seu excedente para fora do Mercosul nesta temporada. Isto significa que os seus preços não deverão cair tanto quanto se espera. O problema é que, quando “saiu” do mercado internacional há 12 anos a Argentina tinha apenas 3-4 concorrentes e agora são 18 os países exportadores.

5. O principal condutor dos preços da temporada 2016/17 será a qualidade, já que houve deterioração deste ítem nas safras do trigo hard dos EUA e nas de trigo soft da França, Alemanha e parte da safra da Rússia. Se, por um lado, haverá mais trigo físico no Mundo, por outro haverá menos trigo de alta proteína disponível. Como consequência, aumenta o prêmio por qualidade (a diferença entre os prêmios de trigo hard e soft no Golfo já é de 50 cents/bushel) para quem pode fornecê-la. Embora ela não tenha a mesma força dos estoques, será um fator determinante na alta dos preços nesta temporada.

6. Entre 2013/14 e 2015/16 a produção mundial cresceu 3,6% e o consumo 4,7%, isto é, o consumo está crescendo mais do que a produção por razões demográficas e também estimulado pelos baixos preços. Qualquer anúncio de redução na oferta ou de área plantada devido aos preços baixos poderá ser fator de alta imediata.

7. A França deixará de exportar 9 milhões de toneladas nesta temporada, devido à forte queda de produção e de qualidade da sua safra, mas a maneira como será feita a sua substituição junto aos mercados que lhe são tradicionais não está ainda bem definida, nem será pacífica e este poderá ser um fator de alta nos preços a curto e médio prazos, porque a concorrência em 2016/17 será feroz! 
 

 

Agrolink
Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.