Milho abre a quarta-feira com poucas movimentações na B3 e em Chicago

A quarta-feira (29) começa com leves quedas para os preços futuros do milho na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações operavam com movimentações negativas entre 0,09% e 0,24% por volta das 09h21 (horário de Brasília).

O vencimento maio/20 era cotado à R$ 47,44 com estabilidade, o julho/20 valia R$ 45,25 com perda de 0,24%, o setembro/20 era negociado por R$ 43,80 com desvalorização de 0,09% e o novembro/20 tinha valor de R$ 45,85 com estabilidade.

Mercado Externo

Já a Bolsa de Chicago (CBOT) abriu a quarta-feira (29) próxima da estabilidade para os preços internacionais do milho futuro. As principais cotações registravam leves movimentações de alta entre 0,25 e 0,50 pontos por volta das 09h02 (horário de Brasília).

O vencimento maio/20 era cotado à US$ 3,03 com elevação de 0,25 pontos, o julho/20 valia US$ 3,12 com ganho de 0,25 pontos, o setembro/20 era negociado por US$ 3,19 com valorização de 0,50 pontos e o dezembro/20 tinha valor de US$ 3,30 com alta de 0,50 pontos.

Segundo informações do site internacional Successful Farming, os grãos foram pouco alterados nas negociações da noite para o dia, pois os investidores pesam um aumento potencial na demanda, uma vez que as instalações de frigoríficos foram ordenadas pelo presidente Donald Trump a permanecerem abertas contra as preocupações em curso sobre compras no exterior.

“O pedido do presidente provavelmente significará aumento da demanda de processadores de carne bovina, suína e de aves e um aumento nas compras de alimentos para animais. Várias instalações foram fechadas nas últimas semanas, quando os funcionários adoeceram com o COVID-19”, aponta o analista Tony Dreibus.

A publicação ainda destaca que, por outro lado, a demanda por milho nos Estados Unidos de compradores no exterior permanece indefinida, pois a doença continua a se espalhar. A demanda por milho das usinas de etanol caiu quando as pessoas ficam em casa e dirigem menos. A produção do biocombustível também caiu para um nível recorde na semana até 17 de abril devido ao uso reduzido de gasolina nos EUA.

Fonte: Noticias Agrícolas

LEIA TAMBÉM

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.