Milho tem 2ª feira de altas superiores a 3% na B3 diante de preocupação com a oferta menor



Imagem: Pixabay



Os futuros do milho negociados na B3 sobem mais de 3% neste início de semana ainda refletindo as preocupações com a menor oferta brasileira. Perto de 11h25 (horário de Brasília), as cotações subiam de 3,08% a 3,35% entre os vencimentos mais negociados, à exceção do julho/21, que tinha R$ 93,64 por saca, subindo 1,73%. O setembro, por outro lado, já tinha R$ 98,80 e o janeiro, R$ 100,50.

“Nem mesmo a liquidez reduzida por conta do feriado em Chicago tira o ímpeto de alta das cotações. Algumas casas de consultoria já começam a revisar seus números finais de produção”, explica a Agrinvest Commodities nesta segunda-feira (5). “Os impactos finais da geada ainda são incertos, mas trazem forte alta para as cotações”.

Entre elas, está a AgRural, que baixou sua estimativa para a segunda safra de milho do centro-sul do país para 54,6 milhões de toneladas, volume 5,4 milhões menor do que a projeção anterior.

{module Form RD}

“Parte dessa redução de 5,4 milhões de toneladas deveu-se a ajustes negativos de produtividade provocados pela estiagem (causa principal dos cortes realizados nos meses anteriores), mas desta vez o principal motivo do ajuste foram mesmo as geadas”, informa o boletim da consultoria.

Para Vlamir Brandalizze, apesar destas altas, a semana que começa hoje deve ser de ritmo mais intenso da colheita e dos produtores segurando um pouco mais suas novas vendas.

“O mercado do milho nesta nova semana deverá ter ritmo de colheita crescendo, mas tudo aponta que boa parte dos produtores irá segurar as ofertas para esperar definição de que rumo irá tomar o mercado, sendo que alguns continuam apostando em patamares recordes que já foram batidos neste ano”, afirma o consultor.

Todavia, ele lembra ainda da possibilidade de importação de produto por parte dos compradores de alguns estados onde o milho importado poderia se mostrar mais competitivo. 
“O certo é que iremos ter um segundo semestre com indicativos fortes e demanda maior que a oferta”, acredita Brandalizze.

Por: Carla Mendes | Fonte: Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.