Milho tem forte alta em Chicago, impulsionada por tensão no mar negro e possível corte na safra dos EUA


Imagem: Pixabay

A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão nesta última segunda-feira (10/11) com preços em forte alta. O mercado foi sustentado pela preocupação de que a piora no conflito entre Rússia e Ucrânia possa atrapalhar os embarques de grãos da região do Mar Negro. O trigo subiu 6,56%, o que ajudou a impulsionar os preços do cereal.

A possibilidade de que o relatório de oferta e demanda norte-americana de outubro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, que sai nesta quarta-feira (12), possa indicar corte na safra do país também influenciou no cenário positivo.

Analistas consultados pelas agências internacionais apostam em uma produção de 13,891 bilhões de bushels de milho em 2022/23, ficando abaixo dos 13,944 bilhões de bushels indicados em setembro e aquém dos 15,115 bilhões de bushels registrados na safra 2021/22. A produtividade média deverá atingir 171,9 bushels por acre, menor frente ao rendimento indicado em setembro, de 172,5 bushels por acre e aquém também do rendimento registrado na safra 2021/22, de 177 bushels por acre.

{module Form RD}

O USDA deve indicar a projeção de área colhida nos Estados Unidos em 80,8 milhões de acres, sem alterações frente ao mês passado. Os estoques finais de passagem da safra 2022/23 norte-americanos devem ser indicados em 1,127 bilhão de bushels, ante os 1,219 bilhão de bushels indicados no mês passado.

Para a safra global 2022/23, os estoques finais de passagem devem ser indicados em 301,6 milhões de toneladas, contra os 304,5 milhões de toneladas indicados em setembro. A previsão é de que os estoques finais de passagem da safra mundial 2021/22 sejam apontados em 307,7 milhões de toneladas, abaixo das 312,1 milhões de toneladas indicadas no mês passado.

Na sessão, os contratos de milho com entrega em dezembro fecharam a US$ 6,98 1/4 por bushel, ganho de 15,00 centavos de dólar, ou 2,19%, em relação ao fechamento anterior. A posição março fechou a sessão a US$ 7,04 3/4 por bushel, alta de 13,75 centavos, ou 1,98% em relação ao fechamento anterior.

Por: Lessandro Carvalho | SAFRAS & Mercado 

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.