Motivos do fracasso dos leilões de trigo da Conab Visitas: 537

Porque houve tão pouca adesão aos leilões de trigo da Conab, se foram tão reivindicados pelo setor? O analista sênior da Consultoria Trigo & Farinhas, Luiz Carlos Pacheco, explica que a resposta está nos preços líquidos finais em cada estado. “No Paraná, o prêmio oferecido não cobria a finalidade a que se propôs, que é a de garantir o pagamento do preço mínimo ao agricultor no interior do estado”, aponta o especialista.

O segundo grupo de leilões de trigo da safra 2016/17 no Brasil comercializou menos da metade do que foi ofertado, ou exatos 42,46%. O leilão de PEPRO comercializou 67,61% e somente no Rio Grande do Sul, com zero de interesse no Paraná e em Santa Catarina. O leilão de PEP comercializou apenas 2% das ofertas e somente no RS.

“O cálculo é o seguinte: preço atual R$ 35,00/saca ou R$ 583,45/tonelada. Se adicionarmos o prêmio do leilão de R$ 182,50 oferecido pelo governo daria R$ 765,95 posto no porto (para onde necessariamente tem que se levar a mercadoria para despachá-la, quer para os moinhos do nordeste, quer para exportação, porque o edital do leilão proíbe que seja vendida para os estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste). O custo para levar para o porto, entre frete, recepção, armazenagem, documentação e embarque nos navios, mais comissões e taxas diversas é de R$ 152,13/t aproximadamente, deixando um líquido para o produtor de R$ 614,60 (ou R$ 36,87/saca) isto é, R$ 29,6/ton a menos do que o preço mínimo, sem contar que não há nenhuma remuneração prevista para cooperativas e cerealistas realizarem o trabalho em nome do agricultor (porque são elas que fazem tudo)”, explica Pacheco. 

 

O analista da T&F afirma que ninguém vai querer “trabalhar de graça e ainda ter que cobrir o rombo entre o preço prometido e o preço concedido pelo governo e não ser ressarcido? Por seu lado, os produtores do estado estão guardando o seu trigo e pedindo no mínimo R$ 40,00/saca para vendê-lo. Por isso ficaram de fora”.

“Já no Rio Grande do Sul a situação é diferente: o mesmo cálculo acima garante R$ 36,87/saca no interior, quando o triticultor gaúcho recebe hoje cerca de R$ 29,00/saca, uma diferença de 27,14% a mais do que os atuais preços de pedra no estado. Então o leilão valeu a pena e o mercado se lançou com vontade, abocanhando 100% dos lotes, disputando preços de tal maneira a reduzir o prêmio em 17,29%. Estima-se que 85% dos arrematantes de PEPRO foram produtores (via cerealistas?) e 15%, cooperativas”, completa.

Pacheco aponta duas conclusões: A primeira é que os leilões não estão garantindo o Preço Mínimo do Governo Federal, de R$ 644,20/t a serem pagos ao agricultor; e a segunda é que os leilões não estão melhorando o nível geral do mercado físico, porque não estão enxugando estoques o suficiente para isso, mas apenas os dos lotes oferecidos nos pregões. O mercado físico não se mexeu (na verdade caiu um pouco em algumas regiões do PR).

 Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.