Mudanças no tempo e retorno do calor

Mudanças no tempo e retorno do calor
Imagem: Canva

No decorrer desta semana, são esperadas mudanças no padrão das chuvas e das temperaturas sobre o país. Isso deve acontecer devido ao enfraquecimento da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) ainda no início do período e o fortalecimento de uma massa de ar quente sobre a Argentina, Paraguai e cone sul do Brasil.

As chuvas devem ser recorrentes em áreas da região Norte, como no AMACRO assim como na metade norte do Mato Grosso. Já na região Sudeste, embora as instabilidades possam ser mais recorrentes, áreas do oeste Paulista e Triângulo Mineiro devem registrar chuvas muito irregulares, assim como no sul do Rio Grande do Sul.

As projeções também sinalizam para um período mais seco em áreas do Norte da Bahia e Sealba; norte de Roraima, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul. Onde as temperaturas deverão ser mais elevadas no decorrer do período.

Mudanças no tempo: Retorno do calor

A semana começa com temperaturas amenas no Sul, devido à influência de uma massa de ar polar. No Centro-Oeste e Sudeste, uma massa de ar quente e seca eleva as temperaturas, com picos acima de 37ºC, especialmente em Mato Grosso do Sul e São Paulo e Oeste do Rio Grande do Sul. No Nordeste, o sertão deve enfrentar calor, enquanto no Norte, Boa Vista terá temperaturas altas devido à menor ocorrência de chuvas.

Mudanças no tempo e retorno do calor

Sul 

A formação de um sistema de baixa pressão na costa da região, deve aumentar as condições de chuvas no leste de Santa Catarina e Paraná ao longo da semana. A expectativa é de baixos volumes ao longo do período, embora algumas trovoadas isoladas possam acontecer. As projeções indicam um tempo mais seco sobre o Rio Grande do Sul, além disso, espera-se um maior aquecimento no decorrer dos próximos dias, com os termômetros se aproximando dos 38°C na sexta-feira (02), no sudoeste gaúcho. Baixos índices de umidade acompanharão essas temperaturas, aumentando a demanda hídrica das lavouras na região.

Mudanças no tempo e retorno do calor

Sudeste

Chuvas volumosas ainda persistem sobre a região, com os maiores acumulados se concentrando em Minas Gerais, leste de São Paulo e Rio de Janeiro, onde se espera até 60 mm. Essas chuvas podem ser intensas em áreas do Vale do Paraíba e Serra da Mantiqueira. Contudo, somente a partir de quinta (01) as instabilidades deverão ser mais presentes no oeste Paulista e Triângulo Mineiro. Até lá, as condições seguem com o predomínio de uma massa de ar quente e seco. Assim que os corredores de umidade se deslocarem em direção ao sul da região, o norte de Minas volta a ter uma condição de tempo mais seco.

Centro-Oeste

As chuvas volumosas se concentram ao norte da região, especialmente no início da semana, ainda sob a influência dos corredores de umidade. Chuvas frequentes e tempo encoberto no norte do Mato Grosso e norte de Goiás devem manter as temperaturas mais baixas para a época. Uma massa de ar quente e seco influenciará o Mato Grosso do Sul na próxima semana, trazendo tempo firme no sul e temperaturas muito altas acima de 40°C no oeste. Apesar disso, no final de semana, áreas de instabilidade podem avançar para o sul do Mato Grosso do Sul, levando chuvas na forma de trovoadas isoladas.

Nordeste 

Ainda no começo da semana, as chuvas devem ocorrer em boa parte da região. Entretanto, as instabilidades vão perdendo intensidade ao longo dos próximos dias, perdendo espaço para uma massa de ar mais quente e seco. Desta forma, espera-se que as chuvas sejam mais recorrentes em áreas do oeste do nordeste, como no oeste Baiano, Maranhão e Piauí. No final da semana, as instabilidades podem ser mais recorrentes em áreas da faixa norte, embora apresentem um comportamento de pancadas isoladas e passageiras. Com a diminuição das chuvas, espera-se um aumento das temperaturas. Em relação às lavouras, a redução das instabilidades devem favorecer os tratos culturais e as operações de plantio, que ainda avançam em algumas áreas.

Tempo no Norte 

Instabilidades tropicais serão frequentes na região, especialmente devido à influência da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) no norte do Amapá e norte do Pará. Chuvas concentradas no oeste e sudoeste da região, principalmente no AMACRO, com previsão de 150 mm durante o período. Já em áreas do norte de Roraima, a semana terá escassez de chuvas. No período, temperaturas abaixo da média no sul devido a chuvas frequentes, enquanto no norte as temperaturas serão acima da média.

Fonte: Gabriel Rodrigues | Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.