Nova lei do agro vai funcionar como grande fonte de financiamento para o agronegócio

A segunda livre produzida pela Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), sobre a Lei do Agro (13.986/2020) e sua implementação, foi realizada nesta quinta-feira (18) e teve como tema os títulos do agronegócio. O debate contou com a presença do ex-secretário de Política Agrícola do Mapa, Ivan Weekend; a representante da Ver Securitizada a, Victória de Sá; o diretor executivo da CCAB Projetos, David Telo; e o representante da VBSO Advogados, Renato Buranello.

O deputado federal Pedro Lupion (DEM-PR), relator do projeto que originou a norma, mediou a live e explicou que o objetivo é ouvir a opinião, críticas e sugestões de especialistas no assunto apontando o que vai funcionar e o que ainda precisa ser melhorado para que esses títulos possam ser instrumentos de alavancagem do financiamento para o agronegócio brasileiro. “Não temos dúvidas de que essa lei se constituíra em uma nova etapa do marco regulatório do financiamento do agronegócio no país”.

No encontro o representante da VBSO Advogados, Renato Buranello destacou os ganhos obtidos com as modificações trazidas pela lei 13.986/20 para títulos da agropecuária. “É a chave que veio fechar um ciclo, avançando no sentido da maior colocação a outros agentes como a variação cambial.”

Ele defendeu que a utilização dos títulos de estocagem, representativos de depósitos de produtos e resíduos do agronegócio CDAWA – Certificado de Depósito Agropecuário – precisam ser melhor otimizados. “Com a pandemia da Covid-19, houve queda na demanda, com isso eu tenho mais produtos e não tenho onde distribuir. Através dos títulos agro, será possível ajudar o produtor ou a agroindústria a colocá-lo para vender isso em um melhor momento que vai sobrevir, tão logo que a pandemia acabe. É uma operação financeira que serve para o setor de milho, café, etanol, um ativo que pode ser comprado com risco extremamente baixo e vendido lá na frente com bom preço.” Para o ex-secretário de Política Agrícola do Mapa, Ivan Wedekin a Lei do Agro se transformou em uma grande fonte para financiamento do agronegócio.

Distribuidor de insumos – Durante a discussão, o diretor executivo da CCAB Projetos, David Telio alerta que faltou incluir o distribuidor de insumos na legislação. Ele diz que a vida econômica e financeira dele é muito limitada. “Precisamos começar a esticar um pouco a lei pelos lados para ver se conseguimos capturar oportunidades. Quando ajudamos uma indústria de fertilizantes, sementes, defensivos, por exemplo, eu não estou ajudando isoladamente, automaticamente que ganha é o produtor rural. Tem muita oportunidade para colocar na mesa, é preciso agilizar tudo isso para começar acontecer.”

Ainda na live, a representante da Vert Securitizadora, Victória de Sá ressalta que a Lei 13.986/20 tem que ser vista como uma oportunidade de alternativa de financiamento. “Quando a gente fala da lei queremos mais pessoas dando dinheiro para o agronegócio, a gente não quer só banco, a gente não quer só governo, a gente quer que mais pessoas possam fazer isso, inclusive pessoas físicas, com mais possibilidades de financiamentos.”

Victória de Sá enfatiza que falta trazer a digitalização para as garantias porque hoje em dia você esbarra nos problemas dos cartórios. “A CIR – Cédula Imobiliária Rural – é também uma solução que a gente vai ter que ver como ela se desenvolve: você conseguir fazer uma alienação fiduciária de uma parte da sua fazenda ajudará muito produtores a não ter que da toda a sua garantia para um banco só. Isso vai ajudar a pessoas fazer outros financiamentos.”

Para concluir, a representante da Vert Securitizadora explica que entender os riscos dos títulos e ter uma segurança jurídica é muito importante porque o mercado financeiro ainda está muito longe do agronegócio. “A nossa missão é aproximar cada vez mais esses mundos.”

A próxima live da Frente Parlamentar da Agropecuária sobre a Lei do Agro vai ao ar na próxima quinta-feira (25), com o debate sobre o Patrimônio de Afetação e CIR – Cédula Imobiliária Rural, a partir das 14h30, nas redes sociais da FPA.

Fonte: DATAGRO

LEIA TAMBÉM:

{module 441}
{module 442}

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.