Novo biofungicida controla doenças foliares em diversas culturas


Imagem: Pixabay


Ação múltipla e simultânea de mecanismos em diferentes locais e processos.

A subsidiária brasileira do grupo francês De Sangosse anunciou o registro no Brasil do biofungicida Restrict, um multissítio para o controle de doenças foliares em mais de 20 culturas. De acordo com a fabricante, o produto faz parte da linha Bio Solutions e auxilia no manejo de resistência nas lavouras, proporcionando ganhos de até 3,2 sacas a mais na soja por hectare.

A biossolução traz a associação exclusiva de duas bactérias, Bacillus amyloliquefaciens cepa CPQBA 040-11DRM 01 e Bacillus amyloliquefaciens cepa CPQBA 040-11DRM 04. É uma composição que gera múltiplos mecanismos de ação para a resistência da planta aos patógenos, conforme explica Flávio Matarazzo, diretor de Desenvolvimento da De Sangosse.

“De forma direta, o produto atua sobre fungos e bactérias, através de competição por espaço e nutrientes, antibiose e antagonismo, e de forma indireta, estimulando a resistência natural das plantas e o crescimento”, pontua.

{module Form RD}

O amplo espectro de controle do Restrict inclui as seguintes doenças foliares: Colletotrichum lindemuthianum (Antracnose), Colletotrichum truncatum (Antracnose), Corynespora cassiicola (Mancha alvo), Phaeosphaeria maydis (Mancha foliar de phaoeosphaeria) e Ramularia areola (Ramulária). As culturas atendidas pelo produto são soja, feijão, algodão, milho, cana-de-açúcar, citros, café, tomate envarado, tomate rasteiro, batata, hortaliças brássicas, alho, cebola, cenoura, morango, pimentão e beterraba.

Com relação aos produtos biológicos indicados para o manejo de controle das doenças foliares, a nova biossolução traz diversos diferenciais, que vão desde sua composição ao seu modo de ação. “Além do mix de bactérias que possui capacidade de produzir biofilmes para a proteção da planta, enquanto a maioria possui apenas um microrganismo, a alta concentração de ingredientes ativos em sua formulação líquida, traz uma grande carga de metabólitos e alta agressividade das duas cepas”, explica o diretor.

Em contraponto aos produtos químicos indicados para o manejo das mesmas doenças, além da eficiência comprovada de controle, a formulação do Restrict® oferece facilidades operacionais. “Tem alta compatibilidade com outros produtos, ou seja, com diversas faixas de pH de calda de inseticidas, herbicidas e fungicidas, por exemplo. E não exige armazenamento refrigerado”, destaca o profissional.

O efeito multissítio do Restrict® se dá através dos diferentes metabólitos produzidos na multiplicação das bactérias. São elas: Surfactina, Marihysina, Heptamycina, Nobilamida, que vão atuar em diversas estruturas da célula fúngica, como na respiração, síntese de proteína e parede celular.

“Essa ação múltipla e simultânea de mecanismos em diferentes locais e processos na célula fúngica propiciam o bom controle dos patógenos com baixo risco para criação de resistência”, reforça Matarazzo.

O Restrict® obteve incremento de produtividade em várias culturas, com relação aos fungicidas químicos aplicados para o controle de antracnoses e manchas foliares. Na cultura da soja, o ganho foi de 3,2 sacas por hectare (sc/ha), em milho 4,4 sc/ha, na comparação no feijão obteve 1,5 sc/ha de incremento e, na cultura do algodão, 1,5 sc/ha.

Para o diretor de desenvolvimento da De Sangosse, além do ganho em produtividade, os produtores devem observar os conceitos de sustentabilidade da solução biológica. “Tem baixo impacto ambiental e maior segurança para a manipulação do produto em campo”, completa. O Restrict® possui efeito fitotônico, de crescimento da planta, tem carência zero e em culturas frutíferas o produto não deixa resíduos nos frutos.

O profissional ressalta que na maioria dos casos é importante que o Restrict® seja aplicado junto com os fungicidas de sítio específico, pois a solução entrará no manejo como fungicida protetor, da mesma forma que os protetores químicos. “É também de extrema importância uma boa tecnologia de aplicação para que o produto seja bem distribuído na lavoura, e evitar a aplicação junto com bactericidas, que afetam as bactérias do produto”, finaliza.

Fonte: Leonardo Gottems | Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.