O comitê da UE vota para impulsionar a política de energia renovável

Imagem: Pixabay


O voto decisivo de um comitê da União Européia (UE) para aumentar a ambição do bloco de reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) nos transportes, deixando os estados membros livres para usar biocombustíveis baseados em culturas em seu mix energético para transportes, foi bem recebido pelas associações comerciais que representam os biocombustíveis da UE, parceiros da cadeia alimentar humana e animal.

Adotada por um voto a favor de 54, 14 contra e seis abstenções, a decisão do comitê de Indústria, Pesquisa e Energia (ITRE) em 13 de julho mantém em grande parte a estrutura para os biocombustíveis baseados em culturas como sugerido pela Comissão Européia (EC), com um limite máximo de culturas estabelecido para o consumo final de energia nos transportes em 2020 em cada estado membro, permitindo +1% de flexibilidade com um máximo de 7%.

Uma declaração conjunta congratulando-se com a mudança foi divulgada por: COCERAL, que representa o comércio de cereais, oleaginosas, leguminosas, azeite de oliva, óleos e gorduras, ração animal e agroabastecimento; Copa e Cogeca, que representa os agricultores europeus e agrocooperativas; o Conselho Europeu de Biodiesel (EBB), que representa a indústria européia de biodiesel; a associação europeia de etanol renovável (ePURE), que representa os produtores europeus de etanol; a FARM Europe, um grupo de reflexão que visa promover as economias rurais; a FEDIOL, que representa a indústria européia de óleos vegetais e farelo protéico; e a FEFAC, que representa a indústria européia de rações compostas e pré-misturas.

“Os membros da ITRE sinalizaram que os biocombustíveis produzidos de forma sustentável desempenham um papel importante na descarbonização dos transportes – hoje e amanhã. Esta é certamente uma melhoria em relação à abordagem equivocada em relação à agricultura adotada pelo comitê ENVI, que reduziria severamente o limite de biocombustíveis baseados em culturas e criaria uma lacuna no mix de energia para transporte que teria que ser preenchida por combustíveis fósseis importados”, disse a declaração conjunta.

Após a decisão da ITRE, o Parlamento Europeu decidirá sobre a posição final da UE em setembro.

{module Form RD}

“Com tanto em jogo nas questões de aumentar tanto a energia e a autonomia da UE em relação à alimentação animal e aos alimentos, como destacado na declaração do Conselho da UE, é claro que o Parlamento precisa reconhecer o potencial dos biocombustíveis sustentáveis baseados em culturas como um componente importante da política de energia renovável da UE e um fornecedor chave de co-produtos ricos em proteínas da UE para uso na alimentação animal até 2030 e mais além”, disse a declaração conjunta.

As associações exortaram a UE a “reconhecer e maximizar plenamente” o potencial dos biocombustíveis certificados baseados em culturas sustentáveis para alcançar as novas prioridades e metas da política da UE para alimentos e rações e segurança energética, ao mesmo tempo em que realizam suas ambições climáticas.

“Nossos setores estão na encruzilhada de avançar em direção à produção de alimentos e rações neutras para o clima, substituição de combustíveis fósseis e independência energética européia, economia de emissões de GEE e a bioeconomia doméstica. Ao mesmo tempo, os tomadores de decisão devem reconhecer as sinergias – entre as cadeias de valor de alimentos, rações e energia na UE”, diz a declaração.

Por: Oils & Fats Internacional (OFI) 

{module Read More}

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.