Óleos Vegetais: Suspensão das exportações de óleo de palma pela Indonésia deixa oferta ainda mais ajustada e preços reagem com alta agressiva


Imagem: Pixabay


A já ajustada oferta global de óleos vegetais ficou ainda mais apertada nesta sexta-feira (22) com a Indonésia – a maior exportadora global de óleo de palma – tendo suspendido suas exportações a partir de 28 de abril. A decisão, informada pelo presidente Joko Widodo neste dia 22, tem como principal objetivo tentar conter, ao menos em partes, as altas do derivado no mercado local, bem como de garantir o abastecimento para sua população.

“Vou acompanhar e avaliar a implementação desta política para que a disponibilidade de óleo de cozinha no mercado interno se torne abundante e acessível”, disse Widodo. 

De acordo com a agência de notícias Bloomberg, a Indonésia adotou certo ‘protecionismo’ em seu mercado, principalmente desde o início da guerra entre Rússia e Ucrânia. O conflito elevou agressivamente os preços dos insumos e dos produtos agropecuários em todo mundo, o que faz com que mais nações também busquem garantir sua segurança alimentar. 

Há alguns meses, a Argentina elevou suas taxas de exportação do farelo e do óleo de soja, com o mesmo objetivo. 

Entretanto, a FAO – o braço da ONU para alimentação e agricultura – fez um alerta nos últimos dias sobre ações como estas serem evitadas, uma vez que só promovem um efeito contrário, e alimentam ainda mais as altas dos preços.

{module Form RD}

Em janeiro, o governo indonésio já havia informado sobre uma outra suspensão, porém, a medida foi revogada já em março, uma vez que levaram as cotações do subproduto nos mercado internacionais às suas máximas históricas na ocasião. E nesta sexta, a situação não foi muito diferente. A diretora geral de Comércio Exterior do Ministério do Comércio, Veri Anggrijono, afirmou que as autoridades da pasta continuarão a acompanhar o presidente e suas decisões.  

Tão logo a notícia foi divulgada, os futuros do óleo de soja dispararam mais de 3% na Bolsa de Chicago, com o primeiro vencimento chegando a testar os 84 cents de dólar por libra-peso. Perto de 13h10, o ganho era de 1,97% para 81,21 cents/lb.

“A notícia certamente criará um caos. Temos o maior produtor proibindo as exportações de produtos de palma, o que adicionará mais incerteza à já restrita disponibilidade de óleo vegetal em todo o mundo”, afirmou um analista indonésio à agência internacional de notícias. 

Além das preocupações com o óleo de palma, o mercado de óleos vegetais também reflete a oferta menor vinda do Leste Europeu de óleo de girassol. A região é a maior exportadora global do derivado e tem sua logística ainda muito comprometida.

“Tanto a Ucrânia, quanto a Rússia deverão deixar um déficit muito grande de óleo de girassol, enquanto a Índia, a maior importadora mundial de óleos vegetais, está ávida para comprar tudo o que puder, querendo tudo o que aparece de óleo no mundo”, explica Vlamir Brandalizze, consultor de mercado da Brandalizze Consulting. 


Por: Carla Mendes l NOTICIASAGRICOLAS

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.