ONU alerta para necessidade de renovação do acordo de grãos do Mar Negro em março



Imagem: Pixabay


Iniciativa, promovida por Nações Unidas e Turquia, foi criada para reintroduzir exportações vitais de alimentos e fertilizantes da Ucrânia e da Rússia para o resto do mundo.

O chefe de Assuntos Humanitários da ONU alertou o Conselho de Segurança nesta segunda-feira (6) que mais esforços devem ser feitos para alcançar quase 18 milhões de pessoas sofrem com as consequências da guerra na Ucrânia.

{module Form RD}

Às vésperas do marco de um ano desde o início da invasão russa, Martin Griffiths afirmou que “há muito a ser feito” com quase 40% da população ucraniana precisando de ajuda humanitária.


Violência contínua

Segundo o subsecretário-geral para Assuntos Humanitários, o plano de resposta humanitária para o país em 2023 deve ser lançado em Genebra e precisa levantar US$ 3,9 bilhões para atender mais de 11 milhões de ucranianos.

Ele também afirmou que embora boa parte da infraestrutura civil, como casas, escolas e hospitais, tenha sido destruída e cidades inteiras tenham ficado danificadas, “a violência não mostra sinais de diminuir”.

Um relatório recente da Organização Mundial da Saúde, OMS, documentou 14 mil vítimas civis, 17,7 milhões de pessoas necessitadas de assistência humanitária e 7,5 milhões de refugiados ucranianos deslocados em toda a Europa. O relatório cobriu os primeiros nove meses do conflito.

Em dezembro, Martin Griffiths esteve no país e testemunhou comunidades inteiras sem eletricidade e suprimentos essenciais.

Atuação das Nações Unidas

Segundo o subsecretário-geral, a ONU fornece assistência a 15,8 milhões de pessoas, incluindo 1,3 milhão fora do controle do governo ucraniano.

Em seu discurso no Conselho de Segurança, ele adicionou que comboios de agências da ONU fornecem diversos tipos de apoio e contam com parceiros que enviam suprimentos agasalhos a materiais de construção para os mais necessitados.

O chefe de Assuntos Humanitários da ONU afirmou que as operações foram expandidas no ano passado, com a entrega de ajuda a locais perto da linha de frente nas áreas rurais de Donetsk, Zaporizhzhia, Kherson e Kharkiv.

Ele reforçou que é necessário “atingir mais pessoas, com mais frequência” para interromper a catástrofe humanitária e o sofrimento do povo ucraniano, bem como abordar as implicações globais da guerra nos preços de alimentos e energia, comércio e cadeias de suprimentos e as questões de segurança nuclear.

Acesso à ajuda humanitária

O chefe para Assuntos Humanitários acrescento que, apesar das repetidas tentativas, o acesso humanitário a áreas sob controle militar russo se tornou cada vez mais imprevisível e impedido.

Ele lembrou a todas as partes na Ucrânia que tomem cuidado constante para poupar civis e garantir a passagem de entregas de ajuda.

Sobre a Iniciativa de Grãos do Mar Negro, Martin Griffiths afirmou que o acordo continua avançando e apontou para a necessidade crítica de sua renovação em março.

Além disso, ele disse que ONU deve pressionar para facilitar mais exportações de alimentos e fertilizantes da Rússia em um esforço mais amplo para enfrentar a insegurança alimentar global.

Fonte: Datagro

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.