Organização Meteorológica Mundial declara início oficial do El Niño



Imagem: Pixabay


A Organização Meteorológica Mundial (OMM) divulgou na última terça-feira (4) declarou oficialmente o início do El Niño. Segundo a publicação, é a primeira vez que o fenômeno se desenvolve nos últimos sete anos e tem previsão de 90% de probabilidade de se manter durante todo o segundo semestre de 2023.

“O início do El Niño aumentará muito a probabilidade de quebrar recordes de temperatura e provocar mais calor extremo em muitas partes do mundo e no oceano”, disse o Secretário-Geral da OMM, Prof. Petteri Taalas, na publicação oficial.

{module Form RD}

O professor destacou ainda que a declaração pela OMM, neste momento, é um alerta para os governos se mobilizarem com estratégias para minimizar os impactos sobre os ecossistemas, economias e saúde da população.

Conforme explica a OMM, o El Niño ocorre em média a cada dois a sete anos, e os episódios geralmente duram de nove a 12 meses. É um padrão climático de ocorrência natural associado ao aquecimento das temperaturas da superfície do oceano no Oceano Pacífico tropical central e oriental.

Antecipando o evento El Niño, um relatório da OMM divulgado em maio previu que há 98% de probabilidade de que pelo menos um dos próximos cinco anos, e o período de cinco anos como um todo, seja o mais quente já registrado, batendo o recorde definido em 2016, quando houve um El Niño excepcionalmente forte.

O relatório da OMM em maio, liderado pelo Met Office do Reino Unido com parceiros em todo o mundo, também disse que há 66% de probabilidade de que a temperatura global média anual próxima à superfície entre 2023 e 2027 seja temporariamente mais de 1,5°C acima níveis industriais por pelo menos um ano.

De acordo com os relatórios do Estado do Clima Global da OMM, 2016 é o ano mais quente já registrado por causa do “golpe duplo” de um evento El Niño muito poderoso e do aquecimento induzido pelo homem devido aos gases do efeito estufa. O efeito nas temperaturas globais geralmente ocorre no ano seguinte ao seu desenvolvimento e, portanto, provavelmente será mais aparente em 2024.

Histórico

A OMM destacou que desde fevereiro de 2023, as anomalias começaram a ser observadas pelos meteorologistas, indicando a possibilidade de um El Niño ainda para este ano. “Na semana centrada em 14 de junho de 2023, as anomalias da temperatura da superfície do mar quente continuaram a aumentar, atingindo um valor de +0,9ºC”, afirma.

“No entanto, alguma incerteza permanece devido apenas ao fraco acoplamento oceano-atmosfera, que é crucial para a amplificação e manutenção do El Niño. Prevê-se que levará aproximadamente mais um mês para testemunhar um acoplamento totalmente estabelecido no Pacífico tropical”, complementa. 

Fonte: Virgínia Alves | Notícias Agrícolas

{module Leia Também}

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.