Em outubro, receita das exportações de carne bovina cai 20%, refletindo desafios no mercado global

Em outubro, receita das exportações de carne bovina cai 20%, refletindo desafios no mercado global
Imagem: Pixabay

o início do ano, continuaram, contudo, afetando o desempenho das exportações totais da carne bovina brasileira (in natura + processadas). Em outubro, a receita do mês recuou de US$ 1,223 bilhão em 2022 para US$ 982,6 milhões em 2023, com queda de 20%. Entretanto, a movimentação no mês permaneceu praticamente estável: em 2022 foram exportadas 234.063 toneladas e, então, em outubro de 2023, elas alcançaram 240.946 toneladas (+2,94%).

As informações são da Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), que compilou os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC). Segundo a entidade, no acumulado do ano, a receita caiu 23% até outubro. Em 2022, o acumulado até outubro registrou receita de US$ 11,37 bilhões. Em 2023, queda a US$ 8,76 bilhões. No volume, um leve crescimento inferior a 1%. Foram movimentadas neste ano, até aqui, 1.998.893 toneladas e, assim, em 2022, a movimentação alcançou 1.994.804 toneladas.

Para a Abrafrigo, o grande problema das exportações em 2023 são os preços pagos pelo produto brasileiro pelos importadores. Em outubro de 2022, os preços médios da carne bovina brasileira foram de US$ 5.228 por tonelada. Em outubro de 2023, houve queda para US$ 4.078 por tonelada. No acumulado do ano, o preço médio de 2022 foi de US$ 5.727 por tonelada. No acumulado de 2023, o valor caiu para US$ 4.381. Todavia, mesmo diante desses desafios, é fundamental monitorar de perto os desdobramentos desse cenário, uma vez que podem impactar significativamente o setor no médio e longo prazo.

A China continua sendo o principal importador de bovinos brasileiros no acumulado do ano, respondendo por 49% das vendas brasileiras.

Em 2002, o país representava 53,1% do total exportado no período. Até outubro, a China foi responsável pela receita de US$ 4,723 bilhões, o que representou uma queda de 32,3% na arrecadação de divisas. No ano passado, até outubro, a receita foi de US$ 6,979 bilhões. Os preços médios caíram de US$ 6.621 por tonelada em 2022 para US$ 4.819 neste ano. No volume também houve queda de 7%, saindo de 1.054.088 toneladas em 2022 para 980.016 toneladas em 2023.

Os Estados Unidos se mantêm como o segundo maior importador da carne bovina brasileira, subindo de uma participação de 8% no total em 2022 para 11,8% até outubro de 2023. A movimentação cresceu 49,1%, passando de 158.260 toneladas em 2022 para 235.903 toneladas em 2023. Contudo, a receita caiu 0,9%, resultado da redução nos preços do produto.

O Chile é o terceiro maior importador, movimentou 82.314 toneladas em 2023 contra 63.927 toneladas em 2022 (+ 28,8%). A receita foi de US$ 322 milhões no ano passado para US$ 400 milhões neste ano (+ 24%).
Hong Kong chegou à quarta posição, importando 82.350 toneladas no acumulado até outubro de 2002 e 94.857 toneladas em 2023 (+15%). Entretanto, a receita caiu 0,1%, passando de US$ 290 milhões para US$ 289 milhões. Todavia, 74 países aumentaram suas importações até outubro, enquanto outros 96 reduziram suas compras.

Fonte: Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.