Participação de renováveis na geração de energia elétrica aumenta no início do ano



Imagem: Pixabay


A participação das fontes renováveis na geração de energia elétrica no Brasil atingiu, em março deste ano, o maior patamar desde o início do século. É o que destaca o Boletim Mensal de Energia referente ao mês de março, publicado nesta quinta-feira (29/06), pelo Ministério de Minas e Energia (MME). Segundo a publicação, a contribuição de renováveis na Oferta Interna de Energia Elétrica (OIEE) chegou a 90,4% no acumulado até março.

A OIEE é contabilizada a partir das parcelas da Geração Centralizada, da Geração Distribuída (GD), da Autoprodução de Energia (APE), dos Sistemas Isolados e do Intercâmbio de Energia Elétrica. De acordo com a publicação, o recorde de março foi resultado das favoráveis condições pluviométricas e do forte crescimento das renováveis no País. Esses fatores também ajudaram a reduzir a utilização de termelétricas a carvão, a gás natural e por derivados de petróleo, aumentando a renovabilidade na geração.

{module Form RD}

A presença das fontes renováveis na Oferta Interna de Energia (OIE) também foi alta: estimada em 48,6% no acumulado até março, aponta o Boletim Mensal de Energia, realizado pelo Departamento de Informações, Estudos e Eficiência Energética (DIEE), da Secretaria Nacional de Transição Energética e Planejamento do MME (SNTEP). De acordo com o DIEE, desde que apresentou uma queda em 2021, a OIE e OIEE têm apresentado resultados mais relevantes na participação de renováveis. A OIE partiu de 45% em 2021, para 47,4% em 2022.

Já a OIEE atingiu, em 2021, 78,1% de renovabilidade, mesmo diante à escassez hídrica. Em 2022, alcançou 87,9%. A Geração Distribuída (GD) fotovoltaica tem crescido na matriz elétrica, em todos os anos. Só de março de 2022 a março de 2023 registrou um crescimento de 93,9% em capacidade instalada. A figura a seguir demonstra o aumento da capacidade instalada solar:

Ainda no boletim de março, outro destaque foi a publicação da Resolução do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), que alterou o teor da mistura obrigatória de biodiesel no óleo diesel para 12% a partir do mês de abril, e a evolução progressiva deste percentual que deverá atingir 15% até o ano de 2026. A resolução estabeleceu também parâmetros para fomentar as aquisições do combustível renovável por meio do Programa Selo Biocombustível Social para as Regiões Norte, Nordeste e Semiárido (Nordeste e norte de Minas Gerais). Este Programa visa à redução da emissão de gases causadores do efeito estufa, à geração de empregos e renda para os pequenos produtores das regiões abrangidas, além de contribuir para a redução das importações do produto fóssil.

Fonte: Datagro

{module Leia Também}

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários. *Estamos de férias coletivas e voltaremos às atividades dia 04/01/2024. Boas festas!

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.