Peru projeta produção de 215 milhões de litros de biodiesel este ano

Peru projeta produção de 215 milhões de litros de biodiesel este ano
Imagem: Pixabay

A produção peruana de biodiesel deve atingir 215 milhões de litros este ano, de acordo com o relatório “Peru: Biofuels Annual” do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Esse total representa um aumento de 2% em relação aos volumes de biodiesel do ano anterior, conforme indicado no relatório de 21 de novembro da Rede Global de Informações Agrícolas do Serviço Agrícola Estrangeiro.

Esperava-se que o consumo de biodiesel totalizasse 420 milhões de litros em 2023, mantendo-se no mesmo nível do ano anterior, mas significativamente superior aos 398 milhões de litros registrados em 2021.

O USDA atribui esse aumento principalmente à reativação econômica pós-pandemia da COVID.

Desafios na produção de biodiesel no Peru

O Peru utiliza óleo de palma bruto (CPO) na produção de biodiesel. No entanto, há um desafio: o biodiesel solidifica em temperaturas baixas, obstruindo filtros de combustível e causando danos aos motores. A PetroPeru alerta sobre esse problema, limitando a taxa de mistura em B5. Não houve avanço na produção de diesel renovável (HDRD) para superar essa restrição, informa o USDA.

O Peru alcançou a exigência da taxa de mistura B5 em 2012.

Em relação às importações de biodiesel, espera-se que atinjam 190 milhões de litros, aproximadamente o mesmo nível do ano anterior, de acordo com o relatório.

As importações peruanas de biodiesel abrangem códigos 3826.00 (misturas B30 a B100) e 2710.20 (óleos de petróleo com 1% a 30% de biodiesel). Esses produtos entram no Peru com isenção de impostos.

Os produtos importados sob o código 2710.20, todos provenientes dos EUA, contêm 10% de biodiesel, conforme destacado no relatório.

O USDA esclarece que, se for usado biodiesel de óleo de soja, comum nos EUA, terá melhor desempenho em baixas temperaturas do que o biodiesel à base de CPO. Isso ocorre devido à menor concentração de ácidos graxos na matéria-prima.

Atualmente, não há pesquisa em andamento sobre biocombustíveis avançados no Peru, conforme indicado no relatório.

“Também não existe política vigente para apoiar a pesquisa de biocombustíveis avançados. A FAS Lima não tem conhecimento de nenhum anúncio feito pelas companhias aéreas peruanas sobre o uso de biocombustíveis avançados em suas operações”, afirma o USDA.

Fonte: Oils & Fats International

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.