Preço das commodities caiu com baixo desempenho do petróleo


Imagem: Pixabay

O preço das commodities caiu com o baixo desempenho do petróleo, ocasionado pela recessão econômica global e lockdowns na China. Além disso, refinarias na Europa e EUA cortaram o consumo de petróleo no terceiro trimestre. Sendo insumo de outras commodities, o combustível fóssil explica a fraqueza dos outros ativos. Esse é o cenário global da atual conjuntura traçado pela hEDGEpoint Global Markets, companhia especializada em análises financeiras, gestão de riscos e hedge de commodities.

Segundo analistas da empresa, assim que passar o pessimismo no mercado, o provável é que as curvas invertidas se fortaleçam novamente com as previsões de aumento de demanda. “Isso acontecerá num momento em que o Capex da indústria está baixo; e preços mais altos são esperados”, diz Heitor Paiva, analista de Energia e Macroeconomia da hEDGEpoint.

Para o analista, na maior economia global, os EUA, embora os mercados estejam precificando a expectativa que o Fed aumente juros até março de 2023, o atual aperto monetário não levou a uma grande deterioração econômica. O mercado de trabalho tem sido resiliente — a abertura de novas vagas de emprego caíram, mas o desemprego continua baixo.

“A inflação do lado da demanda é mais fraca que a da oferta neste ciclo. Um mercado de trabalho apertado significa que a oferta de emprego é menor, o que leva a salários mais altos. Os salários, sendo um custo relevante, são repassados aos consumidores na forma de preços mais altos”, diz Paiva.

{module Form RD}

Perspectivas para a Europa

Culturas como o milho e trigo precisam de fertilizantes à base de nitrogênio, pois não fixam nitrogênio em suas raízes. Considerando que os altos preços do gás natural reduziram a rentabilidade da amônia na Europa, uma menor oferta de nitrogenados é esperada, de acordo com o analista de Grãos e Macroeconomia da hEDGEpoint, Alef Dias.

O preço da eletricidade subiu com baixos fluxos de gás da Rússia, piorando a atividade econômica da região. O mercado espera que a indústria da União Europeia cresça 0,65% no ano, sugerindo um crescimento do PIB de 1,2% no fim de 2022.

“A Rússia fornecerá volumes cada vez menores de gás à Europa, como retaliação”, pontua Dias. Essa escassez será agravada por políticas intervencionistas que incentivam o maior consumo de energia. “O BCE terá que se adaptar, pois gastos relacionados à energia trarão inflação e enfraquecerão o euro”, acrescenta o especialista.

A análise é da hEDGEpoint Global Markets.

Um Banco Central Europeu (BCE) mais hawkish já está precificado pelo mercado, portanto suas decisões monetárias não afetarão o euro, segundo a análise. “Em nossa opinião, para que esta moeda se fortaleça, são necessárias melhores manchetes relacionadas à energia e um retorno do apetite ao risco no mercado”, observa Dias.

Nos EUA, o Fed espera que taxas cheguem a 4% e se mantenham elevadas “por algum tempo”. Ainda assim, o mercado espera cortes a partir de mar/23.

Por: Aline Merladete | Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.