Preços do boi sobem em parte do Brasil, visando avanço nas escalas de abate

Preços do boi sobem em parte do Brasil, visando avanço nas escalas de abate
Imagem: Adobe Stock

Negociações acima da referência média para a arroba do boi ocorreram em alguns estados brasileiros durante a semana, como São Paulo e Mato Grosso do Sul. De acordo com o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Iglesias, os frigoríficos nesses estados pagaram mais pela arroba na tentativa de manter escalas confortáveis de abate em um período de maior demanda.

Ele destacou, porém, que em vários estados brasileiros o perfil das negociações se sustentou, com estabilidade ou mesmo queda nas cotações da arroba. No decorrer do mês de novembro, os animais confinados entraram de forma relevante, constituindo um fator a ser mencionado. No entanto, essa oferta sofrerá gradativa redução, em especial durante o mês de dezembro. “O agravante é que não haverá grande volume de oferta de animais terminados a pasto neste final de ano, em função das chuvas irregulares no Centro-Norte brasileiro”, sinaliza.

Preços internos da arroba do boi

Na cidade de São Paulo, a cotação da arroba do boi a prazo atingiu R$ 235,00, representando um aumento de 2,17% em comparação com os R$ 230,00 praticados na semana anterior. Na cidade de Uberaba (MG), o preço a prazo para a arroba foi cotado em R$ 230,00, refletindo uma queda de 2,35% em comparação com os R$ 235,00 registrados na semana passada.

Em Cuiabá (MT), ocorreu uma queda de 0,48% no valor da arroba. Ao longo da semana, o preço diminuiu de R$ 210,00 para R$ 209,00. Na última semana, o preço a prazo da arroba em Uberaba (MG) foi cotado a R$ 230,00. Isso representa uma queda de 2,35% em comparação aos R$ 235,00 registrados anteriormente. Em Goiânia (GO), a indicação foi de R$ 230,00, sem mudanças.

Preços dos cortes do traseiro seguem reagindo no mercado atacadista

passando, então, de R$ 18,00 para R$ 19,00 durante a semana. Isso ocorre, contudo, devido à perspectiva de uma demanda mais forte nos últimos meses do ano. Os cortes dianteiros, entretanto, sofreram uma desvalorização de 1,56% devido à intensificada concorrência com a carne de frango. Seu preço, portanto, caiu de R$ 13,00 para R$ 12,80.

Iglesias destaca uma tendência de continuidade no movimento de alta nos cortes do traseiro bovino. Isso se deve à demanda mais aquecida nesta época do ano. Ele destaca que o décimo terceiro salário e outras bonificações sazonais, juntamente com confraternizações empresariais, impulsionam o consumo de proteínas de origem animal. A criação de postos temporários de trabalho também contribui para esse estímulo.

Fonte: Safras & Mercado

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.