Preços do cacau caem 20% em dois dias em meio à baixa liquidez

Preços do cacau caem 20% em dois dias em meio à baixa liquidez
Imagem: Canva

Os preços mundiais do cacau registraram quedas de cerca de 20% em dois dias, uma vez que os gatilhos técnicos prevaleceram graças a uma baixa liquidez recorde, com até mesmo os fundos de hedge tendo saído em grande parte do mercado durante sua impressionante ascensão este ano, disseram os negociantes.

Antes da queda desta semana, os futuros do cacau negociados na bolsa ICE – e usados como referência para precificar a amêndoa em todo o mundo – quase triplicaram de valor este ano graças ao clima adverso e a doenças nos principais produtores, como Costa do Marfim e Gana.

A alta deixou muitos participantes do mercado físico sem dinheiro e até mesmo afastou os fundos de hedge, disseram os negociantes, deixando o mercado nas mãos de algorítmicos de fundos “day trading” programados para seguir sinais técnicos semelhantes.

Na ausência de liquidez, esses fundos exageram as oscilações de preços, tanto para cima quanto para baixo. Portanto, a volatilidade se torna mais acentuada.

“Há alguma notícia concreta que tenha impulsionado o mercado até aqui? Não”, disse Jonathan Parkman, chefe de vendas agrícolas da Marex.

“A posição de Nova York é minúscula, um recorde de baixa nos tempos modernos. Afinal, a falta de liquidez vai movimentar o mercado de forma desproporcional em ambas as direções”, explicou.

Queda acentuada nos preços do cacau

Os futuros de julho do cacau em Londres negociados na bolsa ICE caíram quase 15% na segunda-feira, sua maior perda em um dia.

Os preços revuavam cerca de 4, para 7.392 libras por tonelada métrica, às 9h50 (horário de Brasília). Os futuros de julho do cacau em Nova York caíram 3% para 8.665 dólares por tonelada, perdendo quase 16% na segunda-feira.

O mercado está concentrado no desenvolvimento da safra da Costa do Marfim e de Gana, algo que ficará mais claro nos próximos dois meses. Isto servirá de alerta para os investidores sobre a possibilidade ou não de uma recuperação na próxima temporada.

Os dois países juntos produzem quase 60% do cacau do mundo e, com suas perspectivas de safra ainda obscuras por enquanto, não há novos fatores fundamentais que impulsionem os preços, e os suprimentos continuam extremamente apertados.

O ING notou que a queda nos preços do cacau na segunda-feira seguiu o aumento de 23% nas margens iniciais pela bolsa ICE. É provável que esse aumento reduza ainda mais a liquidez.

“Esse foi o terceiro aumento nas margens este mês. A volatilidade do cacau reduziu os contratos em aberto de 400.000 lotes em novembro para 243.000, conforme o banco.

Fonte: Maytaal Angel | Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.