fbpx
USD/BRL:
PT | EN | ES |      

Óleo de Girassol: Conheça a cultura, aplicações e seus benefícios.

por Guilherme Bezzarro

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 


O óleo de girassol (Helianthus annus L.) é originário da América do Norte, se remonta a 1000 A.C. Sua expansão oficial se deu graças às exportações à Europa, onde sim, foi possível o alcance a mais países onde se manteve até hoje como um produto nobre utilizado especialmente na cozinha.


Hoje, a aplicação do óleo de girassol se estende aos segmentos alimentício e nutrição animal; higiene & limpeza; Farmacêutico e Químico. Dependendo do país, ainda pode ser usado para a produção de biodiesel.

A plantação de girassol vem ganhando espaço ao longo dos anos, já que é um produto que se adapta muito bem às condições do solo, sendo uma das principais opções para rotação de culturas da terra. As raízes do girassol são muito profundas, facilitando a maior absorção dos nutrientes da terra, com isso auxiliando na próxima cultura, já que seus decompostos servem de nutrientes para as diferentes camadas da terra.

Com isso, se tornou um produto muito interessante para cultivo e vêm ganhando espaço a nível mundial. Já que além de tudo citado, não exige altos custos de manutenção e gera um produto de alto valor agregado, rendendo por hectare uma média de 1.300Kg de semente, podendo variar dependendo do clima em época de plantio.

O processo de extração é padronizado, quando falamos de uma oleaginosa. É obtido através da prensagem dos grãos, podendo ser prensagem mecânica, que é um processo mais artesanal, normalmente em menor escala de produção; ou por solvente, processo mais industrial, ou seja, em maior escala com o uso de produto químico no processo. Seguidamente, passa por filtração e decantação para separação dos resíduos. Dependendo da semente, pode conter até 58% de teor de óleo. Entre seus principais subprodutos se encontram a semente, farelo, talo de girassol (planta), casca de girassol, óleo bruto e óleo refinado.



O óleo de girassol possui muitos benefícios para a saúde, e é uma excelente pedida, quando comparado ao resto das oleaginosas. Ele é rico em Vitamina E e ômega 3, o que faz dele um agente de combate ao envelhecimento, ou seja, é considerado um antioxidante natural. Não somente auxilia na formação de células que combatem problemas degenerativos, mas também é um agente direto de manutenção da hidratação natural da pele. Auxilia na redução do colesterol, combatendo os radicais livres e ajudando na prevenção de doenças vasculares, fornecendo maior saúde ao sistema nervoso como um todo.

Quando falamos de produção mundial de óleo, os principais produtores, se encontram no Mar Negro, respectivamente, Ucrânia e Rússia, contemplando uma media de 25 milhões de toneladas, quase metade da produção mundial. A América Latina também entra na equação, tendo entre os TOP 3 os nossos parceiros da Argentina como principal fonte de abastecimento do produto ao Brasil. Já o Brasil tem um papel importante como importador, estando sempre entre os TOP 10 maiores importadores.

O Brasil produz em média 100 mil toneladas de semente de girassol anualmente. Este volume vem crescendo a cada ano em área plantada. No Brasil é usado principalmente para troca de cultura para auxiliar na nutrição do solo para a próxima plantação. Hoje o maior Estado produtor é o Mato Grosso, seguido de Minas, Goiás e Rio Grande do Sul. Aqui no Brasil o produto é destinado principalmente para a indústria alimentícia.

Falando sobre mercado atual, este ano devido ao aumento dos preços do milho, muitos produtores optaram pela mudança de plantio. Com isso, é previsto  uma quebra de quase 60% no Estado do Mato Grosso (em torno de 14.000 toneladas), colocando assim, Goiás na liderança de produção de girassol (com 38.000 toneladas) na safra 2020/2021. Fato que não vemos ocorrendo faz anos.



A safra deveria ocorrer agora, porém tivemos atrasos na colheita devido ao plantio tardio, ocasionado pela cultura passada, a soja. Considerando isto, o Brasil precisará fazer maiores importações, pois o mercado local não abastecerá a nossa necessidade. A tendência no mercado local para o segundo semestre é de alta nos preços devido à falta de produto, mesmo sendo o momento de início de safra.

Em conclusão, é notável que este produto está ganhando notoriedade no mundo e no Brasil, trata-se do produto mais saudável para alimentação humana, e é uma excelente opção para culinária. Apesar de ter perdido espaço no Brasil por uma questão de preço, segue chamando a atenção dos produtores pelo seu alto rendimento, pouco custo e grande valor agregado. O futuro está para aqueles conscientes de que saúde é algo que devemos preservar, e este produto terá um papel fundamental na alimentação do dia a dia. Que papel sua empresa vai ter nesse futuro que já bate à porta? É o momento de se posicionar com produtos mais saudáveis e mais premium, o mercado está trabalhando nisso. E você, como quer mostrar sua marca ao mercado?

Por Laura Pereira, especialista em girassol da Aboissa