Greve no Canadá termina, para liberar embarques de trigo e colza

por Marina
As operações ferroviárias no Canadá devem reiniciar na quarta-feira, encerrando uma greve de uma semana que interrompeu as exportações de trigo e colza do principal porto da costa oeste do país.

O principal sindicato ferroviário do Canadá disse na terça-feira que chegou a um acordo provisório com a Ferrovia Nacional Canadense (CN), depois que uma greve envolvendo 3.200 funcionários impediu que os embarques de trigo, colza e potássio chegassem aos terminais de exportação de Vancouver.

O acordo provisório provavelmente evitará as paralisações e demissões de empresas dependentes de exportações, incluindo o setor de grãos.

Enquanto isso, pelo menos 35 navios estavam na fila da costa oeste do Canadá esperando serem carregados com grãos, Mark Hemmes, presidente da Quorum Corp, que rastreia as remessas de grãos para o governo, de acordo com um relatório da Reuters.

A Associação Canadense de Processadores de Oleaginosas (COPA), que inclui empresas como ADM, Bunge, Cargill, Louis Dreyfus e Richardson, disse no início da greve ferroviária que seria forçada a restringir a produção de colza devido a atrasos logísticos.

"Depois de uma greve de uma semana, os Teamsters e o Canadian National (CN) chegaram a um acordo provisório para renovar o acordo coletivo", disse o sindicato em seu comunicado à imprensa.

Ele acrescentou: "As operações normais na CN serão retomadas amanhã às 06:00, horário local", disse o sindicato de Quebec.

O sindicato realizará reuniões em todo o Canadá para explicar os termos do acordo aos membros, que serão seguidos por uma votação secreta para ratificar o acordo provisório - um processo que "geralmente leva vários meses", afirmou o sindicato.

Os detalhes do contrato serão divulgados somente depois que os membros tiverem tido a chance de revisar o documento.

“Governos anteriores violavam rotineiramente o direito de greve dos trabalhadores no setor ferroviário. Esse governo permaneceu calmo e concentrado em ajudar as partes a chegarem a um acordo e funcionou ”, afirmou François Laporte, presidente da Teamsters Canada.

"Queremos agradecer aos nossos clientes por sua paciência e apoio e garantir que a CN esteja se preparando para retomar as operações ferroviárias completas o mais rápido possível", disse Jean-Jacques Ruest, CEO da CN, em comunicado.

O acordo provisório ocorreu depois que empresas canadenses, incluindo agricultores, alertaram sobre o impacto em suas operações desde a greve de sete dias, que levou a logística interna a uma paralisação completa.

Agricultores em Quebec protestaram na segunda-feira despejando sacos de milho nos degraus do escritório do primeiro-ministro Justin Trudeau, exigindo o fim da greve, pois havia causado uma escassez de propano necessário para secar o milho após uma colheita úmida.





Fonte: AgriCensus